Congoleses espancam até morte professores acusados de fazer feitiçaria com Ebola

Da Redação
Em São Paulo

Essa é de lascar. Moradores de um vilarejo do Congo apedrejaram e espancaram até a morte quatro professores acusados de terem lançado um feitiço para provocar uma epidemia de Ebola, responsável pela morte de cerca de 70 pessoas na região.

Os casos de Ebola nos distritos de Kelle e Mbomo, perto da fronteira do Congo com o Gabão, teriam sido provocados, segundo cientistas, pelo consumo de carne de macaco contaminada. Mas muitos moradores da região acreditam na atuação de "forças ocultas".

"Em Kelle, as pessoas continuam a acreditar que o Ebola é um feitiço lançado contra elas por bruxas. E os quatro professores acusados de terem provocado a doença foram espancados e apedrejados até a morte", declarou Dieudonne Hossie, uma autoridade local. Ele não informou quando os professores foram assassinados.

As autoridades locais foram obrigadas a dizer o óbvio: "Pedimos que os moradores de Kelle tenham calma. É o vírus Ebola que está atingindo a região, não um feitiço maligno", declararam cientistas a uma rádio do país.

Na quarta-feira, a Organização Mundial de Saúde (OMS) confirmou que os casos de febre hemorrágica registrados no Congo haviam sido provocados pelo Ebola. Segundo a OMS, 64 pessoas já morreram. Na sexta-feira, a rádio estatal do país divulgou um total de mortos de 68.

O vírus, transmitido por fluídos corporais, mata de 50 a 90 por cento das pessoas contaminadas. O doente morre em consequência de uma hemorragia interna generalizada.

As informações são da Reuters

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos