Acidente de Chernobyl mudou vida sexual de minhocas

Da Redação
Em São Paulo

Um superaquecimento do reator número 4 da Usina Nuclear de Chernobyl, próximo a Kiev, na Ucrânia (então União Soviética), provocou no dia 26 de abril de 1986 o mais grave acidente nuclear da história humana.

E na história das minhocas também. Segundo cientistas ucranianos, a catástrofe nuclear de Chernobyl mudou a vida de algumas espécies de minhocas, que passaram a se reproduzir sexuadamente. Ou seja: elas não transavam, mas nada que uma tragédia nuclear não fosse capaz de resolver.

Pesquisadores do Instituto de Biologia de Sebastopol, ao sul da Ucrânia, associaram a transformação à proximidade de Chernobyl, onde a taxa de radiação é cem vezes maior que a normal depois do acidente.

Segundo os resultados, 23% das minhocas que receberam fortes doses de radiação começaram a se reproduzir por via sexual, quando o habitual é somente 5%, como acontece nas áreas distantes do local da catástrofe.

As pesquisas, feitas com as espécies Nais pardalis e Nais pseudobtusa, começaram nos anos 90, mas haviam sido suspensas por falta de dinheiro.

Fonte: AFP

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos