Estudo diz que fantasmas são "reflexos de estímulos ambientais"

Da Redação
Em São Paulo

Fantasmas não existem. Na verdade, até existem, mas não têm nada a ver com espíritos de outro mundo voando invisíveis por este em que vivemos. Quem diz isso é um grupo de psicólogos britânicos que publicou um estudo na última edição do "British Journal of Psychology". Para eles, os fantasmas não passam de uma resposta a estímulos ambientais.

Mais de 400 voluntários participaram do estudo, que focou dois prédios reconhecidos no Reino Unido como assombrados: as catacumbas de South Bridge, em Edimburgo (Escócia), que seria lar do fantasma de um menino conhecido como "sr. Boots"; e o palácio de Hampton, em Surrey (Inglaterra), onde Catarina Howard, 5ª mulher do rei Henrique 8º (1491 - 1547), vagaria pelos corredores.

Após caminharem pelos locais, cerca de 45% dos participantes relataram pelo menos uma "experiência incomum", como vertigens, dores de cabeça, náuseas e falta de ar. Eles também sentiram mudanças bruscas de temperatura e a existência de outra pessoa no ambiente, mesmo quando não havia ninguém.

Os pesquisadores então mediram movimento do ar, incidência de luz e campos magnéticos nos prédios escolhidos. "Reunidos, esses relatos sugerem que as supostas assombrações não representam evidência de atividade fantasmagórica, mas são o resultado da resposta pessoal - talvez de forma inconsciente - a fatores normais", afirma o principal autor do estudo, Richard Wiseman.

Fonte: Folha Online

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos