O dia mais difícil é o de passar a coroa adiante, revela a Miss Mundo Brasil 2008

Pedro Cirne
Do UOL Tabloide
Em Angra dos Reis (RJ)*

De julho do ano passado até hoje, 4 de julho de 2009, a mineira Tamara Almeida ostentou a coroa e a faixa de Miss Mundo Brasil 2008, com todas as consequências disso: o direito de disputar o Miss Mundo 2008 (chegou à semifinal, parabéns a ela!), atuações por causas ecológicas (que a levaram a ser convidada para continuar atuando com a ONG Caminhos da Terra, parabéns a ela!) e ser madrinha da seleção brasileira na Copa das Confederações 2009 (Brasil campeão: parabéns a ela!, e a eles, claro).

Miss Mundo Brasil 2008 ficou tristinha de perder a coroa...

  • Fabio Nunes/Miss Mundo Brasil/Divulgação
Em entrevista ao UOL Tabloide concedida no último dia como Miss Mundo Brasil, Tamara Almeida faz um balanço do seu ano com o título e revela o momento mais difícil do reinado: a hora de passar a coroa adiante.

Editor do UOL Tabloide - Como você avalia seu um ano de reinado?

Tamara Almeida
- Foi muito produtivo. O início foi bastante incerto: tinha uma agenda feita, mas a cada dia era uma surpresa. Eu sabia do meu trabalho com a ONG Caminhos da Terra e que iria disputar o Miss Mundo 2008, mas era sempre surpreendente. E depois dava sempre aquela sensação boa de não ter planejado nada e, mesmo assim, ter ocorrido tudo tão bem.

Pela ONG, fui ao Acre gravar um documentário sobre Chico Mendes, participei de todos os grandes eventos de meio ambiente do Brasil no último ano e desfilei no Green Fashion, a única semana de moda com roupas recicláveis, ecologicamente corretas. Também fui convidada pela fundação do príncipe Charles para gravar uma mensagem que mostra o comprometimento de pessoas de todo o mundo com a preservação do meio ambiente. A ONG Caminhos da Terra já até me fez convite e vou continuar trabalhando com eles.

Também fui madrinha da seleção na Copa das Confederações. Participei do sorteio dos grupos, no final do ano passado, e fui convidada para acompanhar os jogos da seleção no torneio. Acabei de chegar da África do Sul...

Editor do UOL Tabloide - Então foi você que deu sorte para a seleção naquela suada virada sobre os Estados Unidos, na final do torneio?

Tamara Almeida
- (risos)

Editor do UOL Tabloide - E do que você mais gostou neste um ano de reinado?

Tamara Almeida
- Toda a história gira em torno do concurso internacional, o Miss Mundo. E o melhor momento, sem dúvida, foi quando fui chamada como uma das 15 semifinalistas, deixando outras cem misses para trás. É de arrepiar quando chamam o nome do teu país...

Editor do UOL Tabloide - E qual foi o momento mais difícil?

Tamara Almeida
- O mais difícil é hoje, eu acho. Vai ser uma despedida sem fim. Vou ficar com tantas saudades, tantas lembranças...

Editor do UOL Tabloide - Qual seu conselho para a próxima Miss Mundo Brasil?

Tamara Almeida
- Não enfrentei tanto preconceito porque trabalho como modelo há muito tempo. Muitas vezes o mundo das misses é tido como artifical. Dizem que as misses se montam demais, interpretam demais, sorriem demais, fazem caras e bocas. E eu fui elogiada por fugir disso, por ser natural.

Editor do UOL Tabloide - E você sentiu diferença no tratamento das pessoas quando virou miss? Houve mais assédio dos homens, ciúme das mulheres?

Tamara Almeida
- É engraçado. Sou muito discreta. Meus momentos com amigos são discretos. Só no final, alguém que já me conhece diz que eu sou miss que as pessoas descobrem.

Sou mineirinha, bem quietinha, sem fazer alarde. Me sinto assediada quando começo a conversar. É a diferença da beleza que chega e vai, e a diferença que fica: pela conversa, pela atitude.

* O jornalista Pedro Cirne viajou a convite da organização do Miss Mundo Brasil 2009

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos