Topo

Coreógrafo do Miss Brasil 2012 arranca suor e suspiros das belas

O coreógrafo americano Michael Schwandt é o responsável por deixar as belas candidatas a miss bem ensaiadas  - Divulgação/Band
O coreógrafo americano Michael Schwandt é o responsável por deixar as belas candidatas a miss bem ensaiadas Imagem: Divulgação/Band

Fabrício Calado

Do UOL, em Fortaleza

28/09/2012 12h49

Tem candidata a miss suspirando de calor em Fortaleza, e não é só por causa do mormaço da capital cearense. O culpado é Michael Schwandt, o coreógrafo americano responsável por deixar as belas ensaiadas e tinindo para a apresentação de sábado (29), final do Miss Brasil 2012. De acordo com informações de algumas misses, que não serão identificadas aqui pra manterem a harmonia em seus relacionamentos, o rapaz é um colírio e a melhor coisa pra uma candidata a miss desde o Donald Trump.

Para os mais experimentados do mundo miss, contudo, Michael já é um velho conhecido. É a segunda vez dele no Brasil --em 2011, o americano esteve em São Paulo para a final do Miss Universo. Nesta segunda vinda aqui, além de notar diferenças entre as duas capitais, aprendeu mais alguma coisa de português. São basicamente palavras funcionais, como "isso!", "djentchi", "eba!" e "premer posicion" (obs: o UOL escreve as expressões do jeito que as ouviu dele).

Nos EUA, o coreógrafo é mais conhecido por seu trabalho no mundo da música. Ele já se envolveu na direção de cena de clipes de artistas como Lady Gaga, Katy Perry e Aerosmith, entre outros. No cinema, foi quem cuidou das performances do elenco do filme "O Quarteto Fantástico", entre outros. Saindo do Miss Brasil, na próxima semana, ele se envolverá em uma campanha da Unicef contra o problema das balas perdidas. Em suma, um coreógrafo que se desdobra pra dar conta do que pintar.

Ferro nas bonitas

Nos ensaios, é comum ver Michael botando as bonitas pra penar. Para começar, ele nunca faz elogios ao trabalho delas, mesmo depois de elas ensaiarem por mais de cinco horas seguidas, com o suor e o sono transparecendo por seus poros. Não é por mal, diz ele. "Eu olho sempre pro que está errado. Como essas moças [as candidatas a miss Brasil] não são dançarinas profissionais, procuro focar no que não está bom e digo pra elas melhorarem." Segundo ele, "a maioria" das bonitas pegou o jeito depressa, com exceção de algumas que ele não revela, por questão de delicadeza.

Para o coreógrafo, em certos aspectos, um concurso de miss é mais difícil que um filme. "Para começar, [o desfile do Miss Brasil] é ao vivo. Então, a pressão para não haver erros é muito maior. Já em um clipe, levo de três a cinco dias preparando tudo, com um elenco de dançarinos que já sabe o que fazer."

Embora a rotina de ensaios seja desgastante, e a combinação repetição + cansaço inevitavelmente provoque deslizes das belas, o coreógrafo raramente perde a calma ou o foco. "É porque, dentro da minha cabeça, eu estou berrando "AAAAAAAAAAAAAAH!"", diz aos risos. Ao fim do dia, quando quer desligar a cabeça da maratona de ensaios, Michael diz que prefere não fazer nada.

Após alguns dias de ensaios em Fortaleza, Michael admite que a vontade falou mais alto e ele saiu correndo. Isto quer dizer que botou fones de ouvido e correu por duas horas à noite, do hotel onde está hospedado, na beira-mar, à outra ponta da praia, coisa de uns 10 km de ida e volta. "Em princípio, parece assustador correr aqui à noite, mas é ótimo", jura. Em seu iPod, um top 3 de músicas pra jogging revela, por ordem de lembrança e não de importância, Pink, Maroon 5 e Offspring. "Rock, basicamente. É o que eu preciso pra desligar", diz ele. O conceito é o mesmo dos ensaios: não desacelerar nunca.

Notícias