Topo

Miss Universo 2009 participa de campanha pela liberdade de expressão na Venezuela

Miss Universo 2009, Stefania Fernández participa de campanha por liberdade de expressão na Venezuela - Reprodução/Facebook
Miss Universo 2009, Stefania Fernández participa de campanha por liberdade de expressão na Venezuela Imagem: Reprodução/Facebook

Do UOL, em São Paulo

26/03/2014 19h06

A Miss Universo 2009, a venezuelana Stefania Fernández, participou de uma campanha idealizada por um fotógrafo que pede paz e liberdade de expressão em seu país.

Com a hashtag #mordazasenvenezuela, Daniel Bacci tem fotografado personalidades venezuelanas para demonstrar ao mundo "que todos estão amordaçados" no país governado por Nicolás Maduro.

As imagens são fortes e os personagens aparecem sujos, com sangue e com as mãos presas com uma corda. Para ver mais imagens, acesse o Facebook do fotógrafo.

Entenda

Desde o começo do ano, a Venezuela vem enfrentando constantes protestos violentos que já mataram mais de 28 pessoas. Os manifestantes protestam, principalmente, contra as políticas do presidente Nicolás Maduro, sucessor de Hugo Chávez. Originalmente, os protestos eram contra os altos índices de criminalidade. Mas problemas como a inflação, a falta de bens de consumo básicos, o mercado negro e os apagões também geraram mal-estar em alguns setores. Isso sem falar da oposição de direita, que pretende mudar 15 anos de políticas "chavistas".

A Venezuela enfrenta desafios complexos e tem pela frente um longo caminho até a estabilização. Em primeiro lugar, o país está tão polarizado politicamente que qualquer atitude que o governo tome não tardará a receber uma reação contrária de igual força. O mesmo acontece com a oposição.

A situação não contribui para atacar o problema mais urgente do país: a economia. A oposição insiste que a culpa pelos problemas econômicos do país é da administração chavista, mas oficialmente se fala de uma "guerra econômica" impulsionada pelos inimigos da Revolução Bolivariana.

A alta taxa de inflação e a escassez de produtos básicos ainda não foram resolvidas. A Assembleia Nacional outorgou poderes especiais ao presidente Maduro para decretar leis que aumentem o controle estatal da economia.

Entre elas está a limitação dos ganhos sobre a venda de produtos e a fixação de preços justos para o consumidor. Mas os críticos asseguram que estas medidas só aprofundarão as distorções da economia, criando mais escassez e um mercado negro descontrolado. (Com BBC)

Mais Notícias