Autoridades do Caribe procuram "bruxos bons" para curar loucura coletiva

Da Redação
Em São Paulo

A linda Nicarágua está precisando de ajuda. E a ajuda pode chegar na forma de... "bruxos bons".

As autoridades do Conselho Regional Autônomo do Caribe procuram feiticeiros para curar a loucura coletiva que atinge indígenas do povoado de Raití, na Nicarágua. A informação foi publicada nesta segunda-feira pelo jornal "La Prensa".

Raití, cujos habitantes pertencem à etnia indígena "mískito", está a cerca de 750 quilômetros ao norte de Manágua, fronteiriço com Honduras, e é o segundo povoado da região que sofre com loucura coletiva. No ano passado, o povoado Krikin, vizinho a Raití, sofreu com o mesmo mal.

Os doentes já foram atendidos por equipes médicas, mas os resultados foram negativos. Cerca de 30 habitantes caminham nus pelas ruas, com machados na mão e sem reconhecerem qualquer pessoa, segundo o jornal.

O presidente da Comissão de Saúde do Conselho Regional, Juan González, disse ao jornal que "como os médicos não conseguiram fazer nada, são procurados curandeiros conhecidos nesta região para ir combater o mal". Tais feiticeiros devem ser "bruxos bons", que, de acordo com as crenças da área, não causam dano a pessoas com sua prática do oculto, e se dedicam a desfazer "a maldade" de outros feiticeiros.

Fonte: EFE

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos