Justiça nega bordel e filmes pornô a desempregado; solicitante recorrerá

Da Redação

A Justiça alemã negou nesta sexta-feira o pedido de um desempregado de receber do Estado dinheiro para quatro visitas ao bordel e oito filmes pornográficos por mês, a fim de garantir seu "equilíbrio físico e psíquico".

O Tribunal de Ansbach (sul do país) negou o pedido por considerar que essas despesas são cobertas pela ajuda social que recebe, média de 287 euros por mês (cerca de R$ 1.000).

O homem buscou os tribunais para exigir o que considera uma obrigação do Estado a fim de satisfazer suas "notáveis necessidades sexuais". "Preciso das visitas ao bordel para restabelecer meu equilíbrio físico e psíquico", argumentou o homem em seu pedido.

O homem pretendia que o Estado lhe pagasse quatro visitas a bordéis por mês, incluído o deslocamento à vizinha cidade de Nuremberg, no valor de 125 euros cada, além de oito filmes pornográficos e duas revistas de contatos por mês.

O solicitante anunciou que recorrerá da sentença.

Fonte: EFE

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos