Ex-homem mais rico do mundo vai pro xilindró

Da Redação

Lembra que sua mãe te dizia que dinheiro não traz felicidade? E você achava que era só para você não ter inveja do teu vizinho da frente, aquele enjoadinho que tinha quatro videogames diferentes, quatro carrinhos com controle remoto diferentes e, o que é pior, quatro sobrenomes diferentes?

Pois bem. O magnata japonês Yoshiaki Tsutsumi, que no fim dos anos 90 foi considerado o homem mais rico do mundo, foi preso nesta quinta-feira em Tóquio por seu suposto envolvimento em uma série de escândalos financeiros.

Tsutsumi já foi rico, muito rico. Não, você não está botando uma fé no quanto ele já foi rico. Sua fortuna chegou a ser avaliada em US$ 20 bilhões em 1987, mas agora é estimada em meros US$ 3 bilhões (meros para os padrões do próprio Tsutumi, é claro).

O magnata é acusado de ter ordenado a falsificação de relatórios sobre as ações da operadora ferroviária Seibu Railway e de ter usado ilegalmente informações privilegiadas.

A prisão do empresário japonês, que liderou a lista dos mais ricos do mundo na revista Forbes de 1987 até 1990, produziu reações até no Parlamento, onde se encontraria com o primeiro-ministro japonês, Junichiro Koizumi, nesta quinta-feira.

"Eu me recuso a fazer algum comentário sobre um caso particular, mas reconheço que mantive estreitas relações com Tsutsumi", afirmou Koizumi.

O Editor do UOL Tablóide nunca foi o homem mais rico do mundo, nunca teve quatro sobrenomes, nem teve relações estreitas (seja lá o que for isso) com primeiros-ministros ou presidentes, mas pelo menos nunca viu o sol nascer quadrado.

Fonte: EFE

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos