Primeiro-ministro demite técnico da seleção de Senegal

Da Redação

O futebol é uma caixinha de surpresas. E algumas acontecem fora de campo.

A seleção de Senegal enfrentou a de Togo no último final de semana. O jogo valeu pela oitava rodada das eliminatórias africanas para a Copa do Mundo. Se tivesse vencido, a equipe senegalesa assumiria a liderança do grupo 1 e estaria a duas vitórias da classificação para a Copa do Mundo - faltam apenas duas rodadas para o final das eliminatórias. O jogo terminou 2 a 2.

Com os resultados da rodada, Togo lidera o grupo 1 e depende só de si para se classificar - apenas o melhor de cada chave disputará a Copa. Zâmbia está em segundo, um ponto atrás de Togo. E Senegal, sétimo colocado da última Copa, está apenas em terceiro. Como faltam apenas duas rodadas, a situação senegalesa está difícil. O que o técnico deve fazer?

Bom, ele não vai poder fazer nada. O primeiro-ministro senegalês, indigando com a má campanha de sua seleção, demitiu o técnico Guy Stephan. De quebra, o ministro de Esportes, que rodou um dia antes.

"Não há motivos para me destituir, pois o Senegal continua na corrida para se classificar para a Copa da Alemanha", desabafou Stephan. "O primeiro-ministro me agradeceu o trabalho realizado durante dois anos e meio, mas a verdade é que cedeu à pressão popular."

O Editor do UOL Tablóide não gosta de chavões, mas concorda: o futebol é, de fato, uma caixinha de surpresas.

Fonte: EFE

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos