Iraniano apanha de suas quatro mulheres no tribunal e pede divórcio para se casar com uma quinta

Da Redação

Um iraniano de 47 anos apanhou de suas quatro mulheres em um Tribunal de Teerã, pois nenhuma delas sabia da existência das outras.

Na república islâmica, a lei permite que um homem tenha até quatro esposas ao mesmo tempo (além da quantidade indefinida de concubinas, graças aos casamentos temporários, o "sigheh"), mas prevê a permissão das precedentes.

O fato, conforme descreveu hoje o jornal "Rouzgar", ocorreu quando a primeira mulher percebeu que algo estava estranho e investigou as outras três. As quatro se uniram e denunciaram o marido.

A poligamia não é muito difundida no Irã atual por motivos econômicos e pela rejeição de muitas mulheres, mas é comum homens se casarem com uma segunda mulher sem que a primeira saiba.

Neste caso, o homem, Said, teve dois filhos com sua primeira mulher, quatro com a segunda, e um com a terceira.

Nos tribunais, o iraniano se apresentou como uma vítima, lamentando a agressão sofrida e pedindo o divórcio de suas quatro mulheres para poder se casar com uma quinta.

As informações acima são da agência de notícias Ansa. O comentário a seguir vem do Editor do UOL Tablóide: se ele se divorciar de novo, que não diga que foi por falta de experiência!

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos