Mona Lisa tinha muita gordura no sangue, diz estudo belga

Editor do UOL Tablóide

Um reumatologista belga se deteve a examinar a célebre pintura de Leonardo da Vinci do ponto de vista médico e concluiu que a Mona Lisa tinha muita gordura no sangue.

Segundo Jan Dequeker, professor da Universidade de Lovanio, "a Mona Lisa imortalizada por Leonardo da Vinci sofria de uma grave doença ligada ao metabolismo. Pelo quadro se nota uma forma de hiperlipemia", ou seja, aumento de lipídios no sangue devido a uma alteração no metabolismo das gorduras.

O estudioso, que escreveu um livro com os resultados de suas análises, defende que os sintomas da hiperlipemia podem ser percebidas em duas partes do corpo.

Na mão esquerda (para quem olha a pintura de frente) o inchaço "é um acúmulo de gordura subcutânea, assim como no leve inchaço em torno do olho esquerdo", disse Dequeker à ANSA.

O médico acrescentou que "a tese ganha força pelo fato de que nas mulheres a hiperlipemia se manifesta mais freqüentemente próximo dos 35 anos de idade, a idade de Mona Lisa quando é retratada por Leonardo, segundo os estudiosos internacionais".

O Editor do UOL Tablóide, um saudosista, preferia os tempos em que só os críticos de arte acreditavam poder decifrar o enigma de Mona Lisa.

Fonte: Ansa

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos