Foragido percorre 5 mil km e pede para ser preso, de novo

Da redação

O UOL Tablóide e este editor apresentam mais um capítulo da série "o bom filho à casa torna". Mas este não é um 'filho pródigo' qualquer. Ele andou, andou, andou... e andou, por cerca de 5 mil quilômetros, até perceber que nunca deveria ter partido, ou melhor dizendo, fugido.

A peregrinação começou em maio, conta a Agência Estado. Eriomar Nogueira Luz, 35, escapuliu da penitenciária Edgar Magalhães Noronha, em Tremembé (SP), onde cumpria pena em regime semi-aberto por 13 processos - 9 por furto, 2 por roubo, 1 por receptação de produto roubado e outro por falsa identidade.

Foragido da Justiça e ferido após pular o muro da prisão, o homem percorreu, a pé e de carona, a distância entre o Vale do Paraíba paulistano e a cidade de Esplanada (BA).

O internauta quer saber o motivo?

"Eu não via meus pais há cinco anos e queria encontrar meus parentes de novo. Foi quando tive a idéia de sair e seguir a pé", conta Luz.

Só com a roupa do corpo, ele subiu a Serra da Mantiqueira em direção a Campos do Jordão (SP), enfrentando o rigoroso frio da época. Depois, rumou para a Bahia.

O então ex-detento, que faz crochê e foi servente de pedreiro, afirma que para conseguir carona tinha de fazer a barba. "Ganhava roupa, tomava banho e, quando estava limpinho, tinha carona".

A comida vinha das paradas em postos à beira da estrada. "Em posto (de combustível), as pessoas dão comida pra gente. Ninguém passa fome em viagem, não."

Depois de quatro meses, ele chegou à zona rural de Esplanada, na divisa entre a Bahia e Sergipe.

Sim, incrédulo internauta, ele chegou, mas não ficou por lá muito tempo.

"Meus pais ficaram contentes, minhas irmãs também, mas sempre diziam que eu tinha de voltar pra pagar o que fiz."

Sabe o que ele fez a seguir?

Luz se apresentou à delegacia da cidade, foi detido, e esperava ser transferido com rapidez para Taubaté. Mas como estava demorando demais, fugiu de novo.

Sim, internauta, de novo! Para acabar com a morosidade legal, ele resolveu que se entregaria pessoalmente às autoridades de Taubaté. Não é um de senso de civilidade único?

No caminho, para poder ter direito de dormir em abrigos, tomar banho e alimentar-se, o foragido fazia boletins de ocorrência nas delegacias (!), com outro nome (!!), alegando que tinha perdido os documentos (!!!).

Cansado da peregrinação, ele apresentou-se em Barra do Piraí (RJ), mas, no sistema, não aparecida como fugitivo. E só após três meses voltou a Taubaté, onde pediu para ser preso, novamente, na tarde de ontem.

Segundo o delegado Marcelo Duarte, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Taubaté, uma vaga na penitenciária de Potim, também no Vale do Paraíba, foi conseguida para Luz, desta vez em regime fechado.

"Quero sair de cabeça erguida daqui, vou cumprir o que me resta, mas queria voltar pra colônia", disse Luz, referindo-se ao regime semi-aberto.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos