Síndrome rara fez soldado parar de comer por achar que estava morto

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução

Um soldado britânico passou 18 meses pensando que estava morto. Warren McKinlay, de 35 anos, se recusava a comer, porque acreditava que já tinha morrido e que era um fantasma.

Por mais estranho que possa parecer, o pensamento de McKinlay tinha uma explicação científica. Ele estava sofrendo de síndrome de Cotard, uma condição médica raríssima que atinge uma pessoa em um bilhão.

"Eu me convenci que já estava morto. Me sentia literalmente como um zumbi. Era como se eu fosse um fantasma", contou McKinlay ao jornal Daily Mirror.

O grande gatilho da doença foi o fato de o soldado, na época, estar cercado por militares recém-chegados da guerra.

"Na época em que fui tratado, muitos soldados estavam voltando do Afeganistão sem braços ou sem pernas. Eu estava envolto em histórias de morte. Era como viver um pesadelo. Eu me recusava a comer porque achava que não fazia sentido me alimentar já que estava morto", completou.

McKinlay, que trabalhava como engenheiro eletricista e mecânico do exército, começou a sentir os sintomas quando sofreu um grave acidente de moto e teve perda de memória. Ele só se recuperou quando entrou em contato com outro soldado que já havia sofrido da mesma síndrome.

Por mais que ainda tenha sequelas, agora McKinlay não acredita mais que morreu e tenta levar uma vida normal com sua família.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos