Justiça suíça decide que "J" não pode ser o nome de ninguém

Do UOL, em São Paulo

  • Getty Images

Colocar o nome em um recém-nascido é sempre uma responsabilidade enorme. Mas, alguns pais são mais criativos que outros. Ou, neste caso, menos. Um casal suíço quis batizar sua filha como "J". Isso mesmo, o nome da menina seria simplesmente a letra "J". 

Mas, a justiça suíça negou. De acordo com uma decisão tomada por uma corte administrativa do país, ninguém pode se chamar apenas "J". A informação é do jornal "20 Minuten".

Os pais tentaram até argumentar na justiça. Segundo eles, a ideia do nome era homenagear os bisavós da criança chamados Johanna e Josef. Por isso a escolha da letra "J" como nome do meio da menina. Mas nem isso colou. Para a justiça, a garotinha pode se chamar "Jo", por exemplo.

Ainda segundo a decisão, as pessoas tenderiam a colocar um ponto após a letra, já que pensariam que "J" seria a abreviação de algo.

Apesar do nome "J", a ideia dos pais era a de que as pessoas pronunciassem como "Jay". No entanto, a letra, em alemão, é pronunciada "Yott", o que causaria ainda mais confusão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos