Topo

Curiosidades de tecnologia


Por que o doodle do Google de hoje é especial e você deveria testar

Google
Pressione os botões e componha uma melodia sua Imagem: Google

Luiza Ferraz

Colaboração para o UOL, em São Paulo

2019-03-21T09:25:48

21/03/2019 09h25

O renomado compositor e músico alemão Johann Sebastian Bach completaria nesta quinta-feira (21) 334 anos. Para celebrar essa data, o Google decidiu fazer um pouco como ele: criar e inovar.

Desta maneira, eles executaram o primeiro doodle, ilustração feita para datas comemorativas, desenvolvido com inteligência artificial.

Ao pressionar os botões, é possível compor uma melodia de sua escolha, harmonizada ao estilo musical de Bach (também em rock dos anos 80, se encontrar um easter egg especial).

O projeto foi desenvolvido por Anna Huang, responsável pela criação do Coconet, modelo em que pode-se elaborar uma série de tarefas musicais. Ele foi treinado em 306 das harmonizações de coral do alemão, cada uma carregando sua própria linha melódica, enriquecendo a progressão harmônica.

Em seguida, os engenheiros do Google Pair, centro de pesquisas da multinacional, entraram em ação, permitindo que o aprendizado de máquina acontecesse inteiramente dentro do navegador da web. Para isso, foi utilizado o Tensor Flow, sistema dedicado à criação e treinamento de redes neurais, que pode rodar o algoritmo na nuvem, não precisando utilizar toneladas de servidores, como geralmente é feito.

Nos casos em que o computador ou dispositivo utilizado não for rápido o suficiente para executar o doodle usando o TensorFlow.js, também são fornecidas novas unidades de processamento Tensor do Google, uma forma rápida de lidar com tarefas de aprendizado de máquina em data centers.

Inovação pela arte

O grande músico homenageado, Johann Sebastian Bach foi conhecido, em vida, por ser um organista excepcional, mas sua reputação subiu quando o mundo da música ganhou nova apreciação por seu uso inovador da harmonia em quatro partes, modulações da chave e domínio do contraponto e da fuga.

No entanto, a arte não foi a única afetada pela música de Bach. Depois que a sonda espacial Voyager 2 foi lançada, o cientista e autor Lewis Thomas sugeriu que transmitisse a música de Bach para os confins mais distantes do sistema solar: "Eu votaria em Bach, todo Bach", escreveu ele.

Errata: o texto foi atualizado
21/03/2019 às 12h15
Diferentemente do publicado, Bach faria 334 anos. O texto já foi corrigido.