Topo

Tecnologia


Chinesa Xiaomi quer entrar nos EUA neste ano e mais notícias de Tec do dia

Márcio Padrão/UOL
Imagem: Márcio Padrão/UOL

Do UOL, em São Paulo

2018-03-05T18:07:05

05/03/2018 18h07

A fabricante de smartphones Xiaomi, da China, espera entrar no mercado norte-americano até o final de 2018. A empresa já é a quarta maior fabricante de celulares do mundo e faz bastante sucesso na Ásia. Para continuar a crescer, a Xiaomi planeja alcançar os consumidores do ocidente.

"Nós sempre consideramos entrar no mercado dos EUA", disse o presidente da Xiaomi, Lei Jun.

VEJA TAMBÉM:

Nos primeiros meses do ano, porém, as coisas não foram fáceis para as marcas chinesas: em janeiro, a AT&T deu para trás numa negociação para vender os smartphones da Huwaei nos Estados Unidos, e no mês passado, várias agências de inteligência norte-americanas deram avisos ao público para não usar aparelhos feitos por fabricantes chineses, como Huawei e ZTE.

Alguns produtos da Xiaomi já estão disponíveis nas lojas norte-americanas, como a TV 4K Mi Box, mas os celulares ainda devem demorar alguns meses para aparecer nas prateleiras dos EUA.

Em outras notícias que rolaram ao longo do dia, a rede social chinesa WeChat alcançou a marca de 1 bilhão de perfis de usuários e o Spotify está tentando acabar com apps que removem anúncios de contas gratuitas. Confira!

  • Divulgação

    Spotify notifica usuários que usam apps par remover anúncios

    Muita gente usa aplicativos para remover os anúncios das contas gratuitas do Spotify, ao invés de pagar a assinatura mensal de R$ 16,90 da versão premium do serviço de streaming musical, livre de propagandas. De olho nessa trapaça, o Spotify passou a notificar os usuários espertinhos.

    O alerta pede que o usuário desinstale os apps e avisa: caso as atividades indevidas sejam detectadas novamente, a conta poderá ser suspensa ou encerrada. E aí, vale correr o risco?

  • Reprodução

    Rede social chinesa alcança 1 bilhão de usuários

    A rede social chinesa WeChat, que começou como uma alternativa ao WhatsApp e conta hoje com recursos que vão de pagamento de contas até agendamento de viagens, alcançou a marca de 1 bilhão de perfis de usuários, informou o site Financial Times.

    Vale notar, o número de perfis pode ser maior do que o número de usuários reais do WeChat, já que uma pessoa pode criar mais de um perfil na rede social. Segundo a Tencent, empresa chinesa que é dona do WeChat, o número de contas na plataforma cresce 15,8% ao ano. Cerca de 38 bilhões de mensagens são enviadas pela rede todos os dias.

    O WeChat é a maior rede social na China (onde Facebook e WhatsApp são bloqueados), mas boa parte dos novos usuários vem do sudoeste asiático, EUA e Europa.

  • Getty Images

    Estudantes de Stanford protestam contra Apple por "vício em iPhone"

    Um grupo de estudantes da universidade de Stanford, nos EUA, publicou um protesto contra a Apple, acusando a empresa de "falhar em tomar medidas de senso comum" para diminuir o vício em tecnologia e smartphones, revelou o jornal Stanford Daily. Os estudantes citam diversos estudos que mostram o crescimento do vício em celulares entre pessoas de várias faixas etárias.

    Segundo o panfleto distribuído pelos estudantes, 69% dos adultos checam seus celulares de hora em hora e a metade dos adolescentes se sente viciada em seus smartphones. A universidade fica perto da sede da Apple e muitos engenheiros formados em Stanford trabalham na empresa. Isso, segundo Sanjay Kannan, um dos líderes do grupo de estudantes é um dos motivos para o protesto. "Nós vamos trabalhar para essas empresas, então precisamos ter algum fundamento ético".

  • Divulgação

    O Wordpress representa 30% da internet

    A plataforma de publicação Wordpress é usada por cerca de 30% da internet. A informação foi divulgada pela Amazon. A empresa analisou cerca de 10 milhões de sites e divulgou alguns dados para o público.

    Segundo a Amazon, 50% dos sites do mundo não usam um serviço de gerenciamento de conteúdo, como o Wordpress, e a segunda plataforma mais usada, Joomla, tem apenas 3,1% de todos os websites analisados.

    O sucesso do Wordpress vem da facilidade de uso e das possibilidades de expansão. A plataforma permite a adição de vários 'plug-ins' e é fácil de personalizar.

Mais Tecnologia