Topo

Tecnologia

Virou moda! Teste de fidelidade online usa sedutor para testar parceiro

Think Stock
Milhares de pessoas fazem uso desse serviço de checagem Imagem: Think Stock

Antonio Broto

Em Pequim

08/08/2018 04h00

Em época de amores líquidos e de redes sociais, eis que surge na China um novo e peculiar trabalho: pessoas que se fazem passar por sedutores online para testar se o parceiro de quem o contratou é fiel ou não.

Através de plataformas como o portal "Taobao.com", os clientes contratam um sedutor (ou sedutora) para entrar em contato com o(a) parceiro(a), se aproximar galanteadoramente e testar sua fidelidade.

De acordo com o jornal "Global Times", milhares de pessoas fazem uso desse serviço. Os preços variam de 20 a 1.300 iuanes (de menos de R$ 1 até R$ 40), e os anúncios já trazem o alerta: a empresa não se responsabiliza pelas consequências que a descoberta possa gerar.

Chen Mengyun tem 21 anos, é estudante universitária e trabalha com o pseudônimo de "Mengmeng". Ela entra em contato com homens que deixaram suas parceiras desconfiadas para confirmar se as dúvidas têm ou não fundamento.

Mengmeng, que antes de trabalhar na área testou o serviço com o próprio namorado, envia mensagens e fotos (falsas) através das redes sociais. Após várias tentativas de aproximação, manda a conversa completa para quem a contratou.

O oposto também existe. Algumas empresa têm a versão para o homem que quer testar a namorada ou esposa, mas nesse caso o valor é mais alto. Segundo as companhias, provar a infidelidade feminina é "mais complicado".

De acordo com o jornal, esse serviço, mostra a crescente insegurança dos casais chineses em relação a possíveis infidelidades, em um país onde, conforme alguns estudos, 34% dos homens e 14% das mulheres traem. Estes estudos revelam que enquanto a infidelidade masculina se mantém alta ao longo dos anos, a feminina subiu rapidamente (a porcentagem era de apenas 4% na década passada).

As empresas que prestam esses serviços costumam divulgar mensagens muito reveladoras de clientes satisfeitos.

"Obrigada por serem tão eficientes e provarem que meu marido é um idiota", disse uma suposta cliente.

Também tem quem agradeça por descobrir que a desconfiança não procedia.

"Estou muito feliz de ver que meu namorado resistiu à tentação, mas aconselho não fazerem este teste com pessoas que vocês realmente amem", admitiu outra suposta usuária.

O Taobao oferece ainda outros serviços pouco convencionais, como o aluguel de falso namorado ou namorada - neste caso de carne e osso - para quem precisa levar alguém para dar uma disfarçada em reuniões de família.

Geralmente em festas de Ano Novo, os pais sondam com os filhos sobre os planos a respeito do futuro, mas as perguntas podem se transformar em verdadeiros interrogatórios se aquele jovem chega desacompanhado. Alguns optam, então, por levar um falso parceiro e diminuir o problema.

Na China, a infidelidade nunca foi um crime propriamente dito, mas nos anos 70 as empresas passaram a multar funcionários que ficavam estressados por causa de relacionamentos extraconjugais.

Tudo mudou nos anos 80, com a nova Lei do Casamento que estipulava que os casais "deveriam ser fiéis", mas não contemplava castigos administrativos ou judiciais à infidelidade, mesmo com algumas vozes pedindo um endurecimento da legislação.

Mais Tecnologia