Topo

Na berlinda: EUA investigarão práticas comerciais do Facebook e do Google

Páginas iniciais do Facebook e do Google; práticas das empresas viraram alvo da justiça - iStock
Páginas iniciais do Facebook e do Google; práticas das empresas viraram alvo da justiça Imagem: iStock

Da EFE, em Nova York

04/06/2019 12h06

Os órgãos reguladores da concorrência nos EUA investigam as práticas comerciais das gigantes tecnológicas Facebook e Alphabet, a matriz da Google.

O Comitê Judicial da Câmara de Representantes anunciou nesta segunda-feira a abertura de uma investigação sobre "a concorrência no mercado digital", afirmando que "um pequeno número de plataformas dominantes e não regulamentadas têm um poder extraordinário sobre o comércio, a comunicação e a informação online".

Segundo um dos membros do comitê, David Cicilline, "o crescimento de um poder monopolístico em toda a nossa economia é um dos desafios econômicos e políticos mais apremiantes na atualidade".

Segundo The Wall Street Journal, a Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos (FTC) e o Departamento de Justiça, que compartilham o papel de regulador da concorrência no país, dividem uma investigação das práticas comerciais das duas empresas, suspeitas de arruinar seus rivais.

O Facebook informou na apresentação dos resultados do primeiro trimestre do ano que reservou um uma quantia de 3 milhões a 5 milhões de dólares para enfrentar uma possível multa da FTC pelo uso dos dados pessoais de seus usuários.

O Wall Street Journal informou na sexta-feira que o Departamento de Justiça estava conduzindo uma investigação antitruste visando a Google.

De acordo com fontes anônimas citadas pelo jornal, a Divisão Antitruste "examinará de perto as práticas de negócios do Google" com relação a seu mecanismo de busca e outras atividades.

A FTC realizou uma extensa investigação, há alguns anos, sobre o domínio do Google nas buscas e na publicidade digitais, mas ela foi interrompida em 2013.

Algumas autoridades americanas solicitaram recentemente a reabertura desta investigação.

Mais e mais vozes estão surgindo em ambos os lados do espectro político para exigir uma ação contra os gigantes tecnológicos, acusados de acumular poder demais.

GDPR: nova lei europeia fecha cerco à exploração de dados pessoais e influencia o comportamento das empresas por todo o mundo

Entenda

Negócios