Topo

Tecnologia

Facebook


Facebook quer dar um jeito de evitar mostrar contas de pessoas mortas

Getty Images
O que o Facebook faz quando algum usuário morre? Imagem: Getty Images

Mihir Zaveri

2019-04-14T04:00:00

14/04/2019 04h00

As notificações no Facebook vêm como lembretes indesejáveis de uma perda pessoal:

  • Uma recomendação para adicionar o filho morto de um primo como amigo;
  • Um vídeo comemorativo de amizade com um irmão que morreu anos atrás;
  • Uma sugestão para desejar "Feliz Aniversário" a um irmão morto.

Embora o Facebook tenha surgido como uma ferramenta incrível para preservar as memórias queridas de amigos e familiares que partiram, a rede social também serve para que apareçam notificações preocupantes e muitas vezes inesperadas.

Na terça-feira, o Facebook anunciou várias mudanças para aliviar o luto dos usuários. A empresa de mídia social está usando a inteligência artificial "para minimizar experiências que podem ser dolorosas", disse Sheryl Sandberg, diretora de operações do Facebook, em um comunicado postado no site da companhia.

Usamos a inteligência artificial para ajudar a evitar que [um usuário que já morreu] apareça em lugares que possam causar desconforto, como recomendar que essa pessoa seja convidada para eventos ou enviar um lembrete de aniversário para seus amigos. Estamos trabalhando para melhorar e agilizar isso
Sheryl Sandberg, diretora de operações do Facebook

O anúncio foi feito no momento em que o Facebook enfrenta o escrutínio sobre a disseminação do nacionalismo branco em suas plataformas, não protegendo adequadamente os dados de seus usuários e permitindo a interferência estrangeira nas eleições.

O incentivo do Facebook para gerenciar melhor as notificações de pessoas mortas pode parecer uma medida de senso comum. Mas esse não é um exercício trivial para a empresa, que há anos luta com a chamada pós-morte digital.

Vários usuários relataram que os perfis de amigos ou familiares mortos foram invadidos ou usados para compartilhar spam. Em 2014, a empresa se desculpou depois que um post "Year in Review" apresentou o rosto da filha morta de um homem, relatou o jornal The Washington Post na época.

O fenômeno aqui é que enquanto a vida é transitória, o Facebook não é
Pamela Rutledge, diretora do Centro de Pesquisa em Psicologia da Mídia, uma organização sem fins lucrativos sediada na Califórnia

Depois que alguém morre, um amigo ou membro da família pode solicitar que o perfil da pessoa seja desativado ou que vire um memorial se essa pessoa ainda não tiver solicitado que a conta seja excluída permanentemente após a morte. Uma conta memorial transforma o perfil em uma conta especial em que as pessoas podem postar tributos ou ver postagens de quando essa pessoa ainda estava viva.

Existem centenas de milhares de contas memoriais, disse a empresa. Mas as contas de usuários mortos nem sempre se transformam em memoriais.

Nós ouvimos de pessoas que transformar um perfil em memorial pode se tornar um grande passo que nem todos estão imediatamente prontos para aceitar
Sheryl Sandberg

Isso significa que muitas pessoas mortas têm perfis que não foram sinalizados para o Facebook. Essas contas vão gerar notificações nas páginas de outras pessoas para lembretes de aniversários ou sugestões para que elas sejam convidadas para eventos.

O Facebook há anos tenta automatizar maneiras de identificar esses perfis para que eles não enviem notificações possivelmente dolorosas aos usuários.

Sandberg não especificou como a nova tecnologia de inteligência artificial anunciada na terça-feira faria isso de maneira mais efetiva do que os esforços anteriores da empresa. O Facebook não fornecerá mais detalhes além de dizer em uma declaração por e-mail: "Nós olhamos para uma variedade de sinais que podem indicar que a pessoa está morta".

Rutledge afirmou que o anúncio foi o mais recente na evolução contínua do Facebook. A empresa introduziu os perfis memoriais em 2007. Em 2015, a empresa acrescentou o conceito de "contato-legado" - a nomeação predeterminada de um amigo ou membro da família para gerenciar a conta memorial.

"Isso não é algo para que a gente diga: 'Ah, o Facebook é ruim porque eles não pensaram nisso'", disse ela. "Eu acho que eles estão tropeçando como todo mundo tentando aprender a viver neste mundo."

No anúncio de terça-feira, Sandberg também anunciou uma nova seção de "homenagens" em perfis memoriais, dando a amigos e familiares um novo lugar para que eles possam postar mensagens. A empresa também está dando aos contatos-legados mais controle sobre esses perfis dando a possibilidade de moderar o que está publicado na nova seção de tributos, disse Sandberg.

Rutledge contou há alguns meses que o Facebook a lembrou de desejar um feliz aniversário a seu pai, que morreu há mais de dois anos aos 91 anos. Ela disse que sua família não registrou a conta de seu pai, mas não citou qualquer razão em particular.

"Se o Facebook não for um dos seus principais mecanismos para se conectar com o mundo, é normal não pensar em fazer isso", disse Rutledge.

Jocelyn DeGroot, professora da Southern Illinois University Edwardsville, que estudou como as pessoas lidam com a morte no Facebook, disse que os lembretes também não incomodam a todos. Alguns gostam de ser lembrados daqueles que morreram.

"O gatilho emocional de uma pessoa pode não ser o de outra", disse ela. "As pessoas gostam de ser lembradas de alguém que já morreu, mas em seus próprios termos."