Topo

Tecnologia


Surface Pro 3: tablet de 12'' da Microsoft promete substituir o laptop

Divulgação
Surface Pro 3 tem tela de 12 polegadas; a versão mais robusta tem processador Intel Core i7 Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

2014-05-20T12:26:01

2014-05-20T16:39:28

20/05/2014 12h26Atualizada em 20/05/2014 16h39

A Microsoft apresentou nesta terça-feira (20) o tablet Surface Pro 3, que chega com a promessa de substituir o laptop. O aparelho tem tela de 12 polegadas, processador Intel (Core i3, Core i5, Core i7), pesa 800 gramas, tem 0,9 cm de espessura, capacidade de armazenamento entre 64 GB e 512 GB, memória RAM de 4 GB ou 8 GB. Conta ainda com entrada USB 3.0, uma caneta para produção de conteúdo e um suporte embutido para que fique “de pé”.

O preço da novidade começa em US$ 799 (cerca de R$ 1.766) para o modelo com processador Core i3, 64 GB de armazenamento e 4 GB de RAM. O valor mais alto é US$ 1.949 (cerca de R$ 4.300), para a versão com Intel Core i7, 512 GB de armazenamento e 8 GB de RAM.

O Surface Pro 3 estará disponível a partir de quarta-feira (21) nos EUA e Canadá. Em agosto, chega a 26 outros países - não há previsão para lançamento no Brasil. 

Tablet Surface Pro 3

  • Tela

    12 polegadas; 2.160 x 1.440 pixels

  • Sistema operacional

    Windows 8.1 Pro

  • Dimensões

    20,1 x 29,2 cm x 0,91 cm; 798 gramas

  • Armazenamento

    64 GB, 128 GB, 256 GB e 512 GB

  • Memória RAM

    4 GB e 8 GB

  • Processador

    Intel Core i3, Core i5, Core i7

  • Bateria

    9 horas de navegação na internet

  • Câmeras (frontal e traseira)

    5 megapixels para fotos e 1080p para vídeos

  • Acessórios

    Caneta (inclusa) e teclado disponível em cinco cores (US$ 130, ou R$ 287)

  • Preço nos EUA

    De US$ 799 (cerca de R$ 1.766) a US$ 1.949 (cerca de R$ 4.300)

A título de comparação, o Surface Pro 2 tem tela de 10,6 polegadas, processador Intel Core i5, pesa 907 gramas e mede 1,2 cm de espessura. Ele também conta com entrada USB 3.0 e suporte embutido para que seja usado em pé. 

Durante a apresentação desta terça realizada em Nova York, Panos Panay, vice-presidente da Microsoft para a divisão Surface, derrubou o Pro 3 no chão (acarpetado) para mostrar que o computador é resistente a quedas.

Reprodução/CBS Interactive
Surface Pro 3 tem tela de 12 polegadas; preço inicial é de US$ 799 Imagem: Reprodução/CBS Interactive

Assim como outras versões do tablet da Microsoft, há ainda uma capa com teclado (vendido separadamente por US$ 130, ou R$ 287). O acessório ficou mais fino que a versão anterior, e o trackpad (superfície para substituir o mouse) está 63% maior. Segundo a empresa, o uso combinado do teclado e suporte oferece estabilidade para que o novo Surface seja usado no colo – assim como um laptop. 

No material de divulgação, quando anuncia o peso e espessura do conjunto de hardware, a Microsoft afirma: “É metade da espessura de um MacBook Pro e 30% mais fino que um MacBook Air de 11 polegadas”. Durante a apresentação, o novo tablet foi frequentemente comparado aos computadores portáteis da Apple – mas não ao iPad -, indicando que a empresa quer mesmo brigar com o Surface Pro 3 na categoria de notebooks.   

Nos EUA, o Macbook Pro é vendido a partir de US$ 1.199 (R$ 2.660; 13 polegadas), enquanto o Macbook Air tem preço inicial de US$ 899 (cerca de R$ 1.994; 11 polegadas). 

Microsoft apresenta tablet Surface Pro 3

Substituição 
Panay reforçou tratar-se de um tablet que realmente pode substituir o laptop – isso porque, segundo ele, existe um conflito na hora de comprar portáteis. Tablets são usados para consumir conteúdo, notebooks são a aposta na hora de produzir. 

“Há três anos, todos falavam que o tablet mataria o laptop. Portanto, hoje estariam todos [os jornalistas] nesta conferência usando tablets. Mas não é isso o que vemos, a maioria ainda usa notebooks”, afirmou Panay, observando que muitos dos presentes usavam Mac (da rival Apple). Ainda segundo ele, 96% das pessoas que têm iPad também possuem um laptop, justamente por causa deste "conflito" que o Surface Pro 3 promete eliminar. 

Satya Nadella, diretor-executivo da Microsoft, falou que a origem do projeto está em “sonhar o impossível”. “Queremos oferecer o melhor do tablet e do laptop, permitindo a qualquer um [...] assista e crie um filme, aprecie e crie arte”, afirmou o executivo, que substituiu recentemente Steve Ballmer na liderança da Microsoft. 

Mais Tecnologia