Topo

Tecnologia


Pai do Bluetooth explica nome da tecnologia que conecta celulares e PCs

Divulgação
Engenheiro eletricista holandês Jaap Haartsen, 52, começou a desenvolver a tecnologia Bluetooth em 1994 Imagem: Divulgação

Guilherme Tagiaroli

Do UOL, em São Paulo

08/04/2015 06h00Atualizada em 08/04/2015 17h17

Durante o verão de 1994, o engenheiro eletricista holandês Jaap Haartsen dedicou-se a resolver um problema: conectar dois dispositivos separados por uma pequena distância sem a necessidade de fios. O projeto evoluiu e em 1998 ganhou a adesão de diversas empresas interessadas na tecnologia, que passaram a chamar de Bluetooth (lê-se blutúf).

Nesses mais 20 anos de desenvolvimento, a tecnologia está por toda parte: dos celulares mais simples a laptops híbridos, passando por fones de ouvido a pulseiras de atividade física. Segundo a consultoria ABI Research, 2014 fechou com mais de 3 bilhões de dispositivos com a tecnologia, que interliga aparelhos a uma distância de até dez metros.

“Dá muito orgulho ver as pessoas na rua usando algo inventado por mim. É legal, pois sei exatamente o que está dentro e me impressiona que ainda funciona bem”, disse Haartsen em entrevista por e-mail ao UOL Tecnologia.

A tecnologia rendeu ao holandês neste ano um espaço no hall da fama dos inventores, uma instituição ligada ao escritório de patentes do Estados Unidos, que premia pessoas que inovaram em diversas áreas.

Fazem parte do grupo hall da fama nomes como: Thomas Edison (inventor da lâmpada), Douglas Engelbart (inventor do mouse), Steve Jobs (cofundador da Apple), entre outros.

Em entrevista ao UOL Tecnologia, Jaap Haartsen, 52, explica a razão por que a tecnologia leva esse nome diferente, a evolução do desenvolvimento do Bluetooth e qual o próximo ramo em que deseja contribuir:

UOL Tecnologia: Por que vocês decidiram usar o nome Bluetooth?

Jaap Haartsen: A princípio, era apenas o nome do projeto. O nome definitivo foi escolhido após alguns amigos suecos contarem uma história de um rei nórdico a um dos pesquisadores envolvidos que era norte-americano.

Harald Bluetooth era um rei viking que viveu na Dinamarca por volta do ano 950 d.C. Ele ficou conhecido por unir a Dinamarca e a Noruega, da mesma forma que um dos objetivos da tecnologia era promover a união entre computadores e celulares.

UOL Tecnologia: Quantas pessoas estavam envolvidas no desenvolvimento da tecnologia? Quanto tempo levou?

JH: No verão de 1994, comecei sozinho o conceito inicial da tecnologia. Com o tempo, a equipe cresceu. Com mais pessoas envolvidas, começamos a pensar em soluções de hardware e software para implementação.

Reprodução
Logotipo da tecnologia Bluetooth é composto pelas letras H e B do alfabeto rúnico; os itens fazem referência ao rei viking Harald Bluetooth Imagem: Reprodução

Quando o Bluetooth SIG [consórcio de empresas de telecomunicações para o desenvolvimento da tecnologia] foi criado, em fevereiro de 1998, centenas de pessoas passaram a trabalhar na tecnologia. Atualmente, milhares de pessoas trabalham direta ou indiretamente no desenvolvimento da tecnologia Bluetooth.

De 1994 até 1997, o projeto era pura pesquisa. De fevereiro de 1998 a junho de 1999, começamos o projeto de padronização. Em julho de 1999, foram disponibilizadas as primeiras especificações do Bluetooth para empresas desenvolverem produtos, que começaram a chegar ao mercado em 2000.

UOL Tecnologia: E de onde saiu aquele símbolo do Bluetooth?

JH: No início, era um logotipo da forma de triângulo com ondas de rádio dentro. Porém esse símbolo lembrava bastante o de uma editora holandesa, então descartamos.

O novo logo consistia na letra H (de Harald, o primeiro nome do rei viking) e na letra B (de Bluetooth) do alfabeto rúnico. Esse símbolo foi sugerido pela equipe de marketing do consórcio das empresas.

UOL Tecnologia: Todas as invenções são feitas para resolver um problema. Qual você quis consertar com o Bluetooth?

Jaap Haartsen: Fazer conexões de curto alcance entre dois dispositivos alimentados por baterias. Além disso, o objetivo era conseguir transmitir voz e dados entre esses dispositivos.

UOL Tecnologia: Por ter sido um dos pioneiros da tecnologia, você ganha dinheiro com as patentes referentes à tecnologia Bluetooth? 

JH: Não. Apesar de ser inventor, a proprietária da patente é a companhia pela qual eu trabalhei. Nesse caso específico, era a Ericsson.

UOL Tecnologia: O que você faz atualmente?

JH: Trabalho em pesquisa aplicada na Plantronics, empresa de tecnologias Wireless. Especificamente, atuo em projetos da próxima geração tecnológica de produtos vestíveis envolvendo áudio sem fio.

UOL Tecnologia: Qual dispositivo Bluetooth que você mais gosta de usar?

JH: Meu fone de ouvido sem fio. Uso para ouvir música armazenada no meu smartphone e para fazer chamadas telefônicas.

UOL Tecnologia: Como é fazer parte de uma tecnologia que impacta a vida de tanta gente?

JH: Dá muito orgulho ver as pessoas na rua usando algo inventado por mim. É legal, pois sei exatamente o que está dentro e me impressiona que ainda funciona bem.

Quando comecei a desenvolver a tecnologia, não imaginava que se tornaria tão grande e usado por tanta gente. Apesar disso, meu interesse foi sempre em ciência em tecnologia, não o sucesso comercial.

Mais Tecnologia