Topo

Tecnologia


Por que o Windows 8 fracassou? Veja as cinco principais reclamações

Sérgio Vinícius

Do UOL, em São Paulo

2015-07-28T06:00:00

28/07/2015 06h00

A Microsoft tem apostado todas as suas fichas no Windows 10, que será lançado nesta quarta-feira (29), para tentar recuperar sua reputação um tanto abalada pela versão atual do sistema operacional.

Em outubro de 2012, a empresa norte-americana colocou no mercado o Windows 8. O sistema era completamente renovado do ponto de vista do design --a maior marca disso era a ausência do botão Iniciar, no canto esquerdo inferior da tela. As reações foram bastante exaltadas.

Seis meses depois do lançamento, usuários continuavam chiando e institutos de pesquisa --como IDC e Gartner--, apontavam o Windows 8 como o principal culpado pela queda nas vendas de PCs. Em junho de 2013, a Microsoft lançou a atualização 8.1, que trazia de volta o menu Iniciar e acalmou um pouco --mas não muito-- os ânimos.

Em 2015, vendas de computadores seguem caindo e alguns institutos de pesquisa ainda apontam o Windows 8 como um dos culpados. A ideia da Microsoft é que, com o Windows 10, o panorama mude um pouco. Abaixo, algumas das principais reclamações dos usuários ao redor do planeta (e dos leitores do UOL Tecnologia) após o lançamento da contestável versão. As queixas têm a ver com usabilidade e com a, até então, nova cara do sistema da Microsoft.

Reclamações do Windows 8

  • Reprodução

    1. Cadê o Iniciar e a Área de Trabalho?

    O botão Iniciar e a tradicional Área de Trabalho perderam espaço na interface principal do Windows 8. Por padrão, ao iniciar o sistema operacional, apareciam programas, documentos, arquivos e app divididos em janelas quadradas. A navegação horizontal também causou estranhamento, que foi amenizado --mas não solucionado-- com os ajustes do Windows 8.1.

  • Reprodução

    2. Buscador ineficiente

    O recurso Pesquisar decepcionou boa parte dos usuários ao exibir poucos resultados para as buscas realizadas. Por padrão --e por motivos óbvios-- a pesquisa na web era realizada por meio do Bing, que pertence à Microsoft, e não é tão apurado quanto o Google. Quanto às pesquisas internas na máquina, o sistema não vai bem quando se procura algo em documentos.

  • Divulgação

    3. Touchscreen no PC

    Como o Windows 8 foi desenvolvido para ter um design que funcionasse bem em PCs, smartphones e tablets, a ideia central era criar um ambiente que, sensível ao toque, levasse o usuário onde desejasse com facilidade. Proposta que funcionou bem em dispositivos com Windows Phone, mas que não se mostrou eficiente nas interações feitas por meio de mouse e teclado.

  • Reprodução

    4. Coisas fora do lugar

    A revolução no modo de navegação desktop passou a dar a impressão de que as coisas estão fora do lugar no Windows 8. Quando o mouse avança para a lateral direita da tela, por padrão, aparece uma espécie de deck com diferentes ícones. Na parte esquerda da tela, outros dados --como relógio e sinal de internet-- são revelados. Sem contar que ao abrir um programa os botões de fechar ficam escondidos

  • Reprodução

    5. Programas que dominam a tela

    Diversos softwares no Windows 8 apresentam versões que tomam toda a conta da tela. Isso é algo muito comum em smartphones. Entretanto, em um PC, pode causar incômodo. Um exemplo prático disso é o Skype. Em sua versão padrão para o sistema operacional, ele domina toda a tela do monitor e dá trabalho quando a ideia é utilizá-lo ao mesmo tempo em que se realiza outras funções.

 

Mais Tecnologia