Topo

Tecnologia


Novo navegador da Microsoft é ágil e permite comentário; segurança é dúvida

Reprodução
Imagem: Reprodução

Larissa Leiros Baroni

Do UOL, em São Paulo

2015-07-30T06:00:00

30/07/2015 06h00

O recém-lançado Windows 10 se destaca não apenas pelo enterro do Internet Explorer, mas principalmente pela estreia do Microsoft Edge. O novo navegador é bastante ágil e também se diferencia pelas funcionalidades. Mas, no quesito segurança, ainda é muito cedo para saber se o substituto do IE não vai repetir os mesmos erros do seu irmão mais novo.

Nos testes realizados pelo UOL Tecnologia, o Edge acessou as páginas de maneira imediata, mesmo com várias abas abertas --algumas inclusive com vídeos rodando. Claro que essa agilidade foi beneficiada pela capacidade do computador em que estava instalado, bem como pela qualidade da rede conectada. Mas de qualquer forma o seu desempenho foi considerado bem melhor do que o de seu antecessor e bastante competitivo em relação ao seu principal concorrente o Google Chrome.

Agilidade que pode ser beneficiada pela "expulsão" dos plug-ins, que também garante a segurança dos internautas. Outro recurso --esse mais inovador-- que também pode agilizar a navegação é o modo leitura. Com essa opção, que pode ser ativada a partir de um menu no formato de um livro disponível no canto superior direito do navegador, todos os conteúdos adicionais –como propagandas-- ficam ocultos. Funciona como o famoso "modo impressão", que preserva apenas as informações principais de uma página.

O modo edição também chama bastante atenção. Ao selecionar a função, disponível no canto superior direito do navegador, são habilitados cinco recursos: lápis, que permite que seja desenhado ou escrito qualquer observação na página; marca texto, para destacar determinados informações; borracha, para apagar anotações equivocadas; caixa de textos, que permite anotações específicas; e a tesoura, que viabiliza o corte de determinados trechos. Todas as intervenções podem ser salvas no computador ou compartilhadas pelo e-mail ou pelas redes sociais.

A interação do navegador com a assistente de voz Cortana é outro diferencial. A interação pode ser feita de diversas maneiras, seja ativamente --ao selecionar o ícone correspondente [canto superior direito] para fazer qualquer pergunta-- ou passivamente --quando a assiste apresenta conteúdos complementares ao você entrar em um determinado site ou mesmo ao fazer qualquer busca no navegador. É possível ainda usá-la quando não souber o significado de determinados informações lidas em uma página. Para isso, basta selecionar a palavra, clicar com o botão direito e pedir a ajuda da Cortana.

Pena que o recurso ainda não esteja disponível em português. A expectativa, segundo a Microsoft, é que o serviço seja habilitado no país até o final deste ano. Mas, até que não chegue, é possível utilizá-lo com a troca do idioma do computador para o inglês, como adiantou a empresa.

De uma maneira geral, o Edge se mostrou bastante eficiente, resta aguardar alguns dias para saber se essa eficiência se aplicará à segurança com o surgimento ou não dos seus primeiros bugs. Até agora, no entanto, seu principal defeito é ele não estar disponível para versões diferentes do Windows 10. Nos smartphones, segundo a Microsoft, ele também só estará disponível no Windows Phone --isso quando o sistema operacional for lançado para a versão mobile. Ou seja, só lá para setembro de 2015 (ou mais).

Mais Tecnologia