Topo

Tecnologia


Vai comprar celular usado? Seis dicas garantem final feliz

Thamires Andrade

Do UOL, em São Paulo

2015-08-03T06:00:00

03/08/2015 06h00

Como as marcas de celular lançam novos modelos a todo momento, a troca de aparelho geralmente é frequente. Com a crise batendo à porta dos brasileiros, para não ficar no prejuízo, alguns optam por revender os celulares usados. De janeiro a junho de 2015, houve um crescimento de 116% de vendas de eletrônicos usados, segundo pesquisa realizada pelo IBOPE encomendada pela OLX (plataforma de classificados online gratuitos). Os smartphones lideram a lista, somando R$ 3,1 bilhões em itens vendidos no site. No entanto, antes de finalizar a compra, veja cuidados a serem tomados tanto por quem vende quanto para quem quer comprar.

Arquivo Pessoal
Ao querer economizar com a compra de um celular usado, Gabriela Canal, 22, acabou gastando bem mais Imagem: Arquivo Pessoal
A estudante Gabriela Canal, 22, acabou não pesquisando muito antes de comprar um modelo usado. "O meu celular tinha quebrado e consegui fechar um preço bom. O dono era um conhecido do meu irmão e o celular estava bem conservado, sem riscos", conta. No entanto, três meses após a compra, o aparelho começou a travar. "Um dia ele superaqueceu e desligou. Mesmo depois que voltou a esfriar, não ligou novamente. Tentei entrar em contato com quem vendeu, mas não adiantou. Fui na autorizada para fazer o reparo e falaram que o celular tinha ido para o conserto anteriormente e o local não fez o procedimento correto", lamenta.

O aparelho pifou de vez e Gabriela ficou com o prejuízo. "Tive que comprar um modelo novo e, no fim, acabei gastando o valor de um celular top de linha", conta. Depois da experiência, a estudante não recomenda a compra desse tipo de aparelho. "Acho que vale a comprar um novo mesmo. Depois de tudo, vi que valia a pena optar por um celular simples, mas com garantia, do que um modelo incrível, sem", acredita.

Arquivo Pessoal
Daniela de Carvalho Miranda, 25, comprou um celular usado e não se arrepende Imagem: Arquivo Pessoal
Daniela de Carvalho Miranda, 25, teve uma experiência completamente diferente ao optar pela compra de um smartphone usado. "Estava insatisfeita com meu antigo aparelho e queria mudar a marca do celular. Como um novo estava muito caro, acabei optando por comprar um usado", afirma.

Antes de comprar o celular de um colega de seu cunhado, a auxiliar administrativa pesquisou o preço do modelo que queria por meses para ter certeza que não estava levando gato por lebre. "Fui acompanhando o preço, mas ainda assim o modelo estava fora do meu orçamento. Assim que encontrei alguém de confiança vendendo, optei por isso", conta.

Antes de fechar a compra, ela observou o estado do celular, se tinha muitos riscos e se estava funcionando corretamente. "O aparelho estava bem conservado, sem riscos, chequei o desempenho da bateria e se ele vinha com os acessórios originais", lista.

Até hoje ela nunca teve nenhum tipo de problema com o modelo e indica a compra de aparelhos usados, mas com uma ressalva, "ter uma indicação de quem está vendendo".

Dicas para ter um final feliz na compra de um smartphone usado

  • iStock

    1. Exija nota fiscal

    Segundo João Carlos Lopes Fernandes, professor de Engenharia Elétrica do Instituto Mauá de Tecnologia, não vale a pena adquirir um produto sem nota fiscal original. "É importante solicitar o documento para evitar riscos, já que isso prova que o aparelho não foi comprado de forma ilegal." Sem nota não há como conseguir a cobertura da assistência técnica, se ainda estiver válida

  • Fernando Donasci/UOL

    2. Cheque o estado do aparelho

    Alguns celulares usados apresentam riscos na tela, mas isso não é um motivo para desistir da compra. "Pequenos riscos não são críticos, é muito comum em aparelhos usados, só é preciso ter cuidado para ver se eles interferem no touch screen. Como essa peça é cara, ela precisa estar em perfeito estado", aponta Fernandes. Outro cuidado é com os amassados, que podem indicar danos ao gadget

  • iStock

    3. Certifique-se que os acessórios são originais

    Antes de fechar a compra, vale perguntar ao vendedor sobre os acessórios originais do celular. Se ele vai vir na caixa, com manual, fone de ouvido, carregador original e cabo de dados. Caso o dono tenha substituído algum desses itens, vale questionar o motivo da troca

  • Thinkstock

    4. Conheça o histórico do celular

    Uma pergunta que deve ser feita na negociação é se o dispositivo já foi levado à assistência técnica. É importante conhecer o histórico do celular, pois há chances de problemas similares aparecerem posteriormente. "A bateria do gadget, por exemplo, tem vida útil e, dependendo do modelo, a reposição é difícil e cara. Use-o um pouco para ver se o nível de carga cai rápido ou não", indica o professor

  • iStock

    5. Pesquise preços

    Para saber se vale a pena comprar um aparelho usado é preciso fazer uma boa pesquisa, não só nos classificados, mas também em lojas para saber se a economia realmente compensa. "Quando o preço de um celular usado está muito baixo do valor de mercado, sempre devemos desconfiar, pois ele pode ter algum problema", orienta Fernandes

  • Getty Images

    6. Considere as funcionalidade do aparelho

    Não basta o aparelho estar com o preço baixo, a funcionalidade que o gadget oferece precisa ser levada em conta. "A coisa que o consumidor deve mais levar em consideração é se o celular foi pouco usado e se ele possui as funções de seu interesse, como uma boa câmera, acesso ao Wi-Fi e outras funcionalidades que mais interessem para o usuário", explica o professor

Mais Tecnologia