Topo

Tecnologia


Bill Gates se arrepende até hoje da combinação "Ctrl + Alt + Del"

Elizabeth Shafiroff/Reuters
Cofundador da Microsoft, Bill Gates queria que a combinação Ctrl +Alt + Del fosse mais simples Imagem: Elizabeth Shafiroff/Reuters

Do UOL, em São Paulo

2017-09-21T15:00:01

2017-09-21T19:10:56

21/09/2017 15h00Atualizada em 21/09/2017 19h10

Um dos cofundadores da Microsoft e um dos homens mais ricos do mundo, o norte-americano Bill Gates tem pelo menos um arrependimento em sua vida. E ele tem a ver com o popular conjunto de teclas “Control + Alt + Delete”.

Você sabe do que nós estamos falando. Essas teclas, quando pressionadas com a ajuda das duas mãos, eram um atalho para reiniciar os computadores com o sistema operacional Windows. Atualmente, a principal função da combinação é abrir uma janela para exibir um diagnóstico das atividades do computador.

A história das teclas é ainda mais antiga, remontando aos PCs IBM na década de 80, mas foi no Windows da década de 90/anos 2000 que se popularizou. O conjunto de teclas ultrapassou os ramos da computação e virou algo cultural, pois com essa combinação os usuários conseguiam se livrar de problemas, como o da tela azul da morte.

O criador do código, David Bradley, chegou a brincar: “eu posso ter criado o código, mas foi o Bill [por causa dos erros do Windows] que lhe deu a fama”.

Mas Bill Gates não é muito fã das teclas.  E já deixou isso claro algumas vezes - a primeira em 2013, quando chamou de um "erro" e culpou o criador do código. 

Agora, de acordo com a CNN, o bilionário exprimiu a sua opinião sobre as teclas em uma palestra do Fórum Mundial de Negócios da Bloomberg, na última quarta (20). E o tom foi novamente de arrependimento:

Se eu pudesse fazer uma pequena edição, eu faria aquilo [conjunto ctrl + alt + del] ser apenas uma simples tecla” - Bill Gates

Realmente faria muito mais sentido, né? Mas, por outro lado, uma tecla só seria mais passível de esbarrarmos sem querer do que o conjunto de três teclas. 

Mais Tecnologia