Topo

Tecnologia


Carpool: Waze lança serviço de caronas compartilhadas por R$ 2 a corrida

Getty Images/iStockphoto
Não há pagamento por corrida, mas compartilhamento de gastos Imagem: Getty Images/iStockphoto

Bruna Souza Cruz

Do UOL, em São Paulo

2018-08-21T11:15:53

21/08/2018 11h15

Com mais de um ano de atraso, o serviço de caronas do Waze finalmente chegou ao Brasil nesta terça-feira (21). Conhecido como Carpool, ele é uma tentativa da empresa de ajudar a desafogar o trânsito e facilitar o deslocamento entre os usuários que já utilizam o serviço de mapas – algo que o Uber, por exemplo, já tenta fazer. A diferença é que serão corridas entre usuários, que apenas dividirão o dinheiro da gasolina.

A tecnologia é parecida com a que o aplicativo Blablacar já oferece no Brasil, mas que deve ter maior adesão pelo grande número de usuários do Waze. 

Neste início, cada carona custará R$ 2 por usuário que fizer o pedido, e o motorista fica com o valor integral de cada deslocamento (de R$ 2 a R$ 25 dependendo da distância), segundo a empresa.

Quando a acabar o período promocional, quem está dirigindo escolherá o valor da carona, mas a média é: até 5 km = R$ 4; de 5 km a 40 km = R$ 10; e acima disso = até R$ 24.

Por enquanto, não está nos planos da empresa ganhar dinheiro com o serviço. Douglas Tokuno, chefe do Waze Carpool para o Brasil, disse que o objetivo no momento é lançar esta opção, ganhar escala e, quando estiver mais difundido, decidir como monetizá-la.

Já Fábio Coelho, vice-presidente do Google Brasil, afirmou que o Brasil é o primeiro grande mercado do Waze a ter o serviço de compartilhamento de caronas em nível nacional --ele estava sendo testado em Israel, berço do Waze, e na Califórnia, onde fica a sede da gigante Google, que em 2013 adquiriu a startup israelense que revolucionou os serviços de navegação.

"Carpool é um movimento mais atrativo para negócios e qualidade de vida", defendeu Coelho.

Não é um Uber

O serviço de caronas não funciona como o transporte privado. Segundo Tokuno, a principal diferença é que cada motorista pode dar apenas duas caronas por dia e não existe remuneração para isso. O que existe é o compartilhamento dos custos.

O pagamento entre usuário e motorista é feito todo dentro do sistema do Waze Carpool. O usuário cadastra um cartão de crédito e o motorista cadastra sua conta corrente. Os valores são calculados conforme a distância percorrida.

Como funciona?

O usuário interessado em pegar carona precisa baixar um outro aplicativo do Waze, especialmente para isso.

Ao abrir o app, é preciso informar o endereço de residência e o endereço do trabalho. As opções são pré-determinada, mas isso não impede o usuário de colocar outros endereços e editar os locais mais para frente. Em seguida, o usuário precisa selecionar os horários em que deseja a carona e confirmar. 

UOL
Usuário escolhe os seus dois endereços mais usados Imagem: UOL

UOL
Depois de cadastrar é só pesquisar pelos motoristas disponíveis Imagem: UOL

Para se sentir mais seguro, o usuário ainda tem a opção de pegar caronas apenas com alguém do mesmo gênero que ele ou então configurar para só pegar carona com pessoas da mesma empresa que ele trabalha.

Do ponto de vista de quem vai dar a carona, a empresa afirma que o Carpool será vantajoso para reduzir despesas com combustível, por exemplo, já que ele receberá um valor de cada passageiro.

Segundo o fundador do Waze, Noam Bardin, o Google deu total acesso ao sistema de segurança de dados que usa para proteger serviços como o Gmail, por isso ele acredita que os dados dos usuários e motoristas estarão seguros.

Mais Tecnologia