Topo

Tecnologia


Aprenda a se defender dos programas espiões com estas 8 dicas

Getty Images/iStockphoto
Programas armazenam dados como senhas, sites visitados e até conversas e emails Imagem: Getty Images/iStockphoto

Do UOL, em São Paulo

2018-10-02T04:00:00

02/10/2018 04h00

Além dos vírus, outra forma de praga virtual ameaça o computador de qualquer pessoa que navegue na internet. São os spywares, programas que rodam silenciosamente na máquina e, em geral, mandam informações sobre os hábitos de navegação. Alguns programas são capazes de armazenar informações pessoais como senhas, sites visitados e até sessões de chat e emails enviados.

Há várias maneiras de ser contaminado com spyware. As principais são:

  • Clicando em um spam (email não-solicitado)
  • Clicando em pop-ups (janelas) em sites desconhecidos
  • Clicando em links enviados por WhatsApp ou outro mensageiro
  • Baixando apps, jogos, barras de pesquisa (no navegador) e tocadores de mídia
  • Visitando sites infectados

Você é o produto: cada passo que você dá na web gera rastros e essas informações são usadas para te vigiar e influenciar o seu comportamento

Entenda
Mas como saber se você está sendo espionado e, principalmente, como se defender desses programas "fuçadores"? Aqui vão algumas dicas:

1. Instale um antiespião

Uma das melhores maneiras de descobrir se há um programa espião no computador é usando um programa anti-spyware (antiespião). A partir de uma base de dados, esse aplicativo procura por assinaturas ou traços que são específicos de spywares.

No entanto, vários produtores de spyware compram esses programas e desenvolvem maneiras de burlar a vigilância. Nessa disputa de gato e rato, o jeito é manter sempre o antiespião atualizado.

2. Instale um antivírus

Muitos antivírus detectam spyware, classificando-os como vírus do tipo cavalo-de-troia. Por isso, além de ter um antivírus na máquina, é crucial mantê-lo sempre atualizado. Mas fique atento: alguns spywares não são identificados pelos antivírus.

3. Ligue o firewall

Um firewall sempre ligado é tão importante atualmente como um antivírus. Esses programas alertam sobre tentativas de invasão ou mesmo obtenção de informações do sistema. Eles também apontam se programas desconhecidos estão tentando enviar informações para fora. Normalmente, computadores Windows e Macbook já vem com a proteção, então basta configurá-la.

4. Atualize o Windows

A Microsoft está sempre lançando "patches" que corrigem falhas e tapam buracos de segurança no Windows. Por isso, não custa visitar com regularidade o serviço Windows Update, que automaticamente baixa e instala as correções necessárias.

5. Fique de olho na lentidão

Alguns spyware consomem recursos do sistema operacional, e o computador fica mais lento. Aplicativos que demoram para abrir e executar ações e a luz do disco rígido ficar acesa o tempo todo são sinais típicos de atividade "subterrânea". Isso é mais fácil de notar em PCs com pouca memória.

6. Cuidado com os downloads

Aqui vale a mesma regra usada para se prevenir de vírus. Use o bom senso. Saiba que é sempre um risco baixar programas e arquivos de sites que você não confia. Os spywares são normalmente escondidos em alguns programas freeware (gratuitos) e shareware (com período de uso determinado). Na dúvida, evite.

7. Leia os termos

Apesar de ser algo que quase ninguém faz, é bom dar uma lida nos termons. Alguns programas avisam claramente que vão colocar um software que monitora os hábitos de navegação.

8. Cuidado no trabalho

No trabalho, é melhor partir do princípio de que você está sendo monitorado. Muitas empresas usam softwares que controlam o uso da web e bloqueiam o acesso a sites de conteúdo pornográfico, por exemplo. Há programas que "fotografam" a tela de tempos em tempos e enviam relatórios para os administradores da rede. Portanto, fique atento.  

Está seguro? Veja como ficar mais protegido online

Leia mais

Fita na câmera do notebook? Sim, funciona

UOL Notícias

Mais Tecnologia