Topo

Tecnologia


Câmera deslizante! Novo celular da Xiaomi 'esconde' selfie para ter só tela

Divulgação/Xiaomi
Mi Mix 3, da Xiaomi, têm câmera de selfie escondida que só aparece quando a parte de trás do celular é deslizada Imagem: Divulgação/Xiaomi

Helton Simões Gomes

Do UOL, em São Paulo

2018-10-25T11:56:03

25/10/2018 11h56

A Xiaomi, a chinesa mais queridinha do brasileiro, lançou um novo smartphone com tela em praticamente toda a parte dianteira e um truque para que o display não seja recortado pelo inconveniente entalhe: você tem que deslizar para cima a parte de trás do aparelho para usar a câmera de selfie ou sensor de reconhecimento facial.

Lançado nesta quinta-feira (25), o Mi Mix 3 segue a tendência entre os fabricantes chineses de ocupar toda a parte frontal dos celulares com tela. Só que a Xiaomi cola em números todo esse esforço: a tela está em 93,4% da parte da frente de seu novo smartphone. Para chegar a tanto, a fabricante reduziu as bordas e mandou para o espaço o “notch”, aquele entalhe que fica no topo das telas para abrigar a câmera frontal e outros sensores.

VEJA TAMBÉM:

A solução encontrada foi dividir o celular em duas partes deslizantes e posicionar esses componentes na fatia de trás do aparelho.

Essa estratégia também é outra moda que os fabricantes chineses querem emplacar. O Honor Magic 2, da Huawei, possui incríveis seis câmeras – metade na frente e a outra parte atrás. Para abrir as três câmeras de selfie, que não ficam expostas, você também tem que deslizar a fatia de trás do aparelho.

Esse recurso de esconde-esconde das câmeras também aparece no Vivo Nex e Oppo Find X. Diferentemente deles, o deslizar do Mi Mix 3 não é feito por motores.
A tela do novo celular da Xiaomi tem 6,4 polegadas e resolução de 1080 pixels. No total, são quatro câmeras: na traseira, uma de 12 Megapixels e um módulo de telefoto; na frente, uma de 24 MP e outra de 2 MP. É possível destravar o telefone com reconhecimento facial – mas, para isso, você tem que deslizá-lo – ou por meio do leitor de impressões digitais, que fica na parte traseira.

Divulgação/Xiaomi
Imagem: Divulgação/Xiaomi

O processador é um Snapdragon 845 e a memória RAM pode chegar a 10 GB. O aparelho chega à China em 1º de novembro pelo equivalente a US$ 475 (6 GB de RAM e 128 GB de armazenamento), US$ 575 (8 GB de RAM e 256 GB de armazenamento) e US$ 720 (10 GB de RAM e 256 GB de armazenamento).

VEJA TAMBÉM:

O aparelho chegará à Índia e outros mercados asiáticos em breve, mas a Xiaomi não especificou quando isso ocorrerá. O Brasil não foi mencionado entre os mercados a receber o aparelho. O que a fabricante chinesa prometeu foi que lançará uma versão do Mi Mix 3 já com 5G para Europa ainda em 2019.

$escape.getH()uolbr_geraModulos(‘embed-infografico’,‘/2018/chamada-uol-testa-1533128500686.vm’)

Mais Tecnologia