Topo

Tecnologia

Inovação

Olha a indicação! Estes são os 5 livros que Bill Gates mais gostou em 2018

Reprodução
Bill Gates apresentou sua tradicional lista de livros do fim de ano Imagem: Reprodução

Gabriel Francisco Ribeiro

Do UOL, em São Paulo

04/12/2018 14h32

O multibilionário Bill Gates compartilhou nesta terça (4) os cinco livros que ele mais gostou de ler ao longo de 2018. A lista, compartilhada pelo empresário todo ano, é o início das tradições de fim de ano do fundador da Microsoft - em breve, queremos ver o que ele vai dar de presente para um sortudo da rede social Reddit, claro.

Em sua lista anual de livros, Bill Gates ainda dá uma dica importante: os que ele citou neste ano são "altamente presenteáveis". A seleção deste ano, então, conta com livros que você não precisa ser um bilionário ou gênio da tecnologia para entender.

Veja também:

Confira a lista abaixo:

1 - A história de Tara Westover

A primeira escolha de Bill Gates é o livro "A Menina da Montanha", de Tara Westover. O livro é uma memória da autora, que cresceu isolada da sociedade e pisou em uma sala de aula pela primeira vez aos 17 anos. A trajetória da garota, criada sob o fanatismo do pai que temia pelo fim do mundo, culminou em um doutorado pela prestigiosa Universidade de Cambridge.

"A experiência dela é uma versão extrema de algo que todo mundo passa com os pais. Em algum ponto da sua infância, você passa de achar que eles sabem de tudo para ver os adultos com limitações", comenta Bill Gates.

2 - A guerra do futuro

O interesse antigo de Bill Gates pela ficção científica fez o multibilionário escolher o livro  "Army of None: Autonomous Weapons and the Future of War" (sem título em português, "Exército de Ninguém: Armas Autônomas e o Futuro da Guerra", na tradução literal), de Paul Scharre. O livro tem um jeito de "Exterminador do Futuro", com o uso prático de inteligência artificial por militares, especialmente em armas.

"Não existem respostas fáceis aqui. Mas eu concordo com Sharre que nós temos que nos resguardar quanto à sedução pelas máquinas - sua velocidade, sua aparente perfeição e sua precisão fria. E não deveríamos deixar para os militares ou as pessoas escrevendo software a decisão de onde estabelecer os limites", opina Bill Gates.

3 - Vale do Silício

A queda da startup Theranos é o tema de outro livro selecionado por Gates. "Bad Blood: Secrets and Lies in a Silicon Valley Startup" ("Sangue Ruim: Segredos e Mentiras de uma Startup do Vale do Silício", em tradução literal e sem edição no Brasil), de John Carreyrou, narra a história da companhia Theranos, fundada por Elizabeth Holmes quando ela tinha 19 anos.

A empresa alegava que poderia usar só uma pequena porção de sangue de uma pessoa para conseguir o quadro completo da saúde do paciente - Elizabeth Holmes era presente constante em TEDs, palestras e capas de revistas. O problema é que a tecnologia nunca funcionou e a empresa fechou as portas recentemente, sob investigação governamental.

"'Bad Blood' aborda algumas questões éticas sérias, mas no fim é um suspense com um final trágico. Eu acho que é o livro perfeito para devorar neste inverno", aponta o multibilionário.

4 - Lições para o futuro

O autor Yuval Noah Harari costuma ter as obras elogiadas por Bill Gates e não foi diferente neste ano. O livro "21 Lições para o Século 21" conta com vários tópicos, apresentando perspectivas históricas e filosóficas de vários assuntos como trabalho, guerra, nacionalismo, religião, imigração e educação. Bill Gates não concorda com tudo do livro, mas aprecia a obra assim mesmo.

"Todos os três livros de Harari lutam com uma versão da mesma questão: o que vai dar sentido para nossas vidas nas décadas e séculos à frente? Ele faz uma conversa global sobre como enfrentar os problemas do século 21", afirma o empresário.

5 - Exercício para a mente

Bill Gates afirma que, atualmente, medita de duas a três vezes por semana por cerca de 10 minutos, superando antigos preconceitos que tinha contra a prática. É por causa disso que ele recomenda a obra "The Headspace Guide to Meditation and Mindfulness" ("Guia do Headspace para Meditação e Mente Plena", em tradução aproximada, sem edição no Brasil), de Andy Puddicombe.

A história de Puddicombe é curiosa: ele era um monge que acabou virando um palhaço de circo e então criou o aplicativo Headspace para "trazer a meditação para as massas". O autor já chegou a dar aulas privadas de meditação para Bill Gates e sua família.

"Andy sofreu algumas críticas dos meditadores pesados por sua abordagem, mas ele me levou a meditar e seguir meditando. Estou feliz por isso", diz o multibilionário.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Newsletters

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero receber