Topo

Tecnologia

Segurança


Clicou no link? Veja como descobrir se era vírus e como tirá-lo do celular

Getty Images/iStockphoto
Lentidão do celular pode ser um indicativo de que o aparelho pode estar em risco Imagem: Getty Images/iStockphoto

Bruna Souza Cruz

Do UOL, em São Paulo

2019-04-04T04:00:00

04/04/2019 04h00

Pare alguns minutinhos e pense em seu celular: ele está lento, alguns aplicativos vivem travando ou programas que você nunca ouviu falar começaram a aparecer no aparelho? Se a resposta for sim para uma dessas perguntas, o seu telefone pode estar com vírus.

As características acima são alguns alertas de que o nosso celular pode estar em risco, explica Denise Giusto Bilic, pesquisadora de segurança digital da ESET na América Latina.

Você sabia que, dependendo do caso, a ação do vírus -- ou outro tipo de malware (programa malicioso) -- pode fazer o aparelho perder todas as funções?

O mais preocupante é que algumas ameaças estão escondidas em mensagens do WhatsApp, de email e até publicações em redes sociais. Os tipos mais comuns, segundo o analista de segurança da Kaspersky Lab Thiago Marques, são:

  • Programas falsos que se instalam nos aparelhos para roubar dados (usuários, senhas, informações pessoais);
  • Códigos maliciosos que sequestram o celular e travam as suas funções. Para desbloqueá-lo, os cibercriminosos exigem um pagamento (ransomware);
  • Programas que executam automaticamente uma quantidade de anúncios sem a permissão do usuário (Adware).

Como descobrir se o celular está com vírus?

Nem sempre é fácil detectá-lo sem o uso programa de segurança. Mas há alguns sinais que podem nos ajudar, de acordo com os especialistas em segurança digital.

Aplicativos ou programas do sistema fechado do nada

A falha repentina de programas instalados no celular é um indicativo de que algo não vai bem.

Está seguro? Veja como ficar mais protegido online

Leia mais

Em alguns casos, pode realmente ser um problema de processador e/ou memória do aparelho. Mas nem sempre.

Se você não atualizou recentemente o aplicativo que deu erro ou o sistema operacional, algum código malicioso pode estar interferindo na execução do programa.

"Saber com antecedência quais aplicativos você instalou no seu telefone facilitará a rápida identificação de qualquer aplicativo que você não tenha autorizado. Realize uma revisão das permissões de aplicativos [dentro das configurações do celular]", explica Bilic.

Bateria acabando rápido demais

Em alguns casos, o programa malicioso executa comandos indevidamente sem que o usuário perceba. Consequentemente, o consumo da bateria pode ser afetado.

O fato de a bateria estar acabando rápido é um sinal de alerta.

Cobranças desconhecidas/créditos acabando rápido

Acesse o seu histórico de chamadas recentes e veja se existem ligações para números desconhecidos. Além disso, verifique as mensagens de texto enviadas e analise o mesmo.

Phishing, spyware, spam, malware ou vírus: o que são essas pragas?

Leia mais

Alguns códigos maliciosos tentam fazer chamadas ou enviar mensagens para outros números sem que o usuário perceba. O processo impacta diretamente o bolso do usuário, que vai ter que arcar com as despesas extras.

O contrário também pode acontecer. O usuário que possui um malware instalado em seu aparelho pode começar a receber mensagens de texto que escondem códigos de comando. Uma vez acessado, o programa malicioso começa a interpretá-los e executar outros códigos dentro do celular.

Internet não dura

Um problema parecido com o anterior pode afetar o pacote de dados de internet.

Aplicativos maliciosos podem usar o sistema de dados (3G/4G) para se comunicar com os centros de comando gerenciados por cibercriminosos de um modo bem discreto. Com isso, adeus pacote de internet.

Na dúvida, verifique o consumo de dados periodicamente. Será mais fácil analisar se ele está dentro do uso padrão ou não.

Faça uma varredura no aparelho

Caso você tenha notado que o seu celular enfrenta algum dos problemas listados acima (ou todos), a recomendação é procurar um antivírus de confiança -- as lojas de aplicativos geralmente fornecem notas dadas por usuários -- e instalar no dispositivo.

Em seguida, aguarde o programa fazer uma varredura no aparelho. Se existir algum vírus ou outro tipo de malware, o sistema deve alertar.

Meu celular foi infectado, e agora?

Primeiramente, troque as senhas de email, redes sociais e outros programas que solicitam a autenticação.

Não é possível ter certeza do que o programa malicioso fez dentro do seu celular. Então é melhor prevenir.

(OBS: faça as alterações usando outro dispositivo e não o aparelho infectado).

Depois disso, há algumas alternativas a serem feitas:

  • Siga o passo a passo disponibilizado pelo antivírus para que o programa apague o código malicioso.
  • Ou procure direto uma assistência técnica para que ela ajude no processo.

Depois da remoção do malware é fundamental que o usuário tente identificar por onde veio a infecção. Dependendo de seu comportamento, as chances de você ser vítima de um golpe podem ser minimizadas.