Topo

Tecnologia

Segurança


"Está podendo"? Apple novamente alfineta rivais sobre privacidade

Reprodução
Imagem: Reprodução

Bruna Souza Cruz

Do UOL, em São Paulo

2019-04-12T12:00:00

12/04/2019 12h00

Resumo da notícia

  • Um vídeo promocional que defende a segurança do iPhone foi lançado pela Apple
  • Com tom de ironia, a empresa alfineta rivais
  • Não é a 1ª vez que ela faz isso. No início do ano, ela exibiu um outdoor gigante na CES 2019
  • Mas será que ela realmente está em posição de ser a ?defensora da privacidade??

A Apple resolveu partir mais uma vez para o "ataque". Mas não tem nada a ver com um novo celular. Depois de exibir um outdoor gigante durante a CES 2019 provocando a concorrência por ela não dar a devida atenção à privacidade de seus usuários, ela resolveu expandir a estratégia e cutucar os seus rivais aqui no Brasil.

A empresa, chefiada por Tim Cook, lançou um vídeo destacando a segurança do iPhone. Nas cenas, uma série de situações do dia a dia (algumas mais engraçadinhas) vão acontecendo. Tudo ligado à privacidade.

Quase no final do vídeo a Apple destaca a frase: "Se a privacidade é importante para a sua vida, também deveria ser para o telefone que carrega a sua vida".

Conseguiu sentir o nível da ironia?

É sempre bom lembrar que gigantes como o Facebook e o Google já falharam na missão de proteger nossos dados. Lembra do caso Cambrigde Analytica? E do roubo de mais de 30 milhões de usuários do sistema operacional Android?

A Apple explicou ao UOL Tecnologia que os vídeos fazem parte de uma campanha global que tem como objetivo reforçar aos consumidores de que a segurança é um direito. Vídeos parecidos já foram lançados nos Estados Unidos, Europa, México, Chile e chega ao Brasil nesta semana.

"É para lembrar as pessoas de que tudo o que fazem em sua vida precisa de privacidade. E ela também é importante na vida digital", afirmou a fabricante.

Segundo a Apple, o vídeo será veiculado em todo o Brasil por meio da TV aberta e paga a partir desta sexta-feira (12).

Não é a primeira vez que a Apple tenta se vender como uma empresa que tem a privacidade de usuários como prioridade. É uma estratégia obviamente inteligente para quem quer manter sua base de clientes a atrair novos públicos (não tem nada de boazinha).

Os usuários estão ficando mais atentos e cientes da necessidade de proteção de dados no ambiente digital. Fator que anda pressionando muitas companhias. Países também estão criando leis mais rígidas sobre o tema. O Brasil é um exemplo. A Lei Geral de Proteção de Dados entra em vigor em agosto de 2020 e prevê multas pesadas para organizações que descumprirem as regras aqui no país.

Não só a Apple, como todas as empresas terão que se adequar.

Está seguro? Veja como ficar mais protegido online

Leia mais

A primeira grande "cutucada"

Foi com a frase "O que acontece no seu celular, fica no seu celular"que a Apple chamou a atenção dos visitantes da CES 2019, maior feira de tecnologia para consumo do mundo, que aconteceu em Las Vegas (EUA) em janeiro.

A empresa nem iria participar do evento, mas marcou presença nas proximidades da feira. A frase podia muito bem ser um trocadilho com o slogan de Las Vegas, mas é muito difícil acreditar que a Apple não aproveitou o tema para provocar e marcar território.

Muita gente interpretou a mensagem como uma crítica ao fato de as empresas rivais não levarem a privacidade de seus clientes a sério, principalmente o Google.

Falha no FaceTime

Até o momento, não foram descobertos grandes vazamentos de dados envolvendo a Apple. Por isso, muitos acreditam que seus dispositivos são mais seguros do que os das concorrentes.

No entanto, é importante lembrar que uma falha de segurança foi descoberta recentemente e deu uma baita de uma dor de cabeça para a empresa.

O problema afetou o funcionamento do FaceTime (bate-papo por vídeo) nos iPhones, iPads e MacBooks. Usuários conseguiram ouvir o áudio do microfone e ver a imagem da câmera dos contatos antes mesmo de a chamada ser completada.

O erro foi corrigido na semana seguinte com uma atualização de software, mas não pegou muito bem para a empresa.