Topo

Tecnologia


Estudante processa Apple em US$ 1 bilhão por falsa acusação de furto

Reprodução/Daily Sun
Tecnologia de reconhecimento facial da empresa teria sido a responsável pelo erro Imagem: Reprodução/Daily Sun

Thiago Varella

Colaboração para o UOL, de São Paulo

2019-04-23T11:57:22

23/04/2019 11h57

Um estudante está processando a Apple por ter sido acusado falsamente de furtos dentro de lojas da companhia. Segundo Ousmane Bah, de 18 anos, o software de reconhecimento facial da empresa é o responsável pela acusação equivocada. O nova-iorquino pede US$ 1 bilhão de indenização no processo. As informações são da Bloomberg.

Bah contou que foi preso em sua casa, em Nova York, em novembro do ano passado, acusado de ter praticado um furto dentro de uma loja da Apple. O mandado de prisão continha uma foto do suposto ladrão. No entanto, o suspeito não se parecia em nada com o estudante, segundo um processo impetrado na última segunda-feira (22).

Um dos furtos ocorreu em Boston em junho, no mesmo dia em que Bah participou de seu baile de formatura do ensino médio em Manhattan.

Está na dúvida? Confira os nossos reviews dos celulares

UOL Testa

Uma das explicações para o ocorrido é que Bah perdeu um documento sem foto que pode ter sido encontrado ou até mesmo roubado pelo real ladrão que o usou como identificação em lojas da Apple.

Como resultado, o estudante acabou sendo ligado, de forma errada, ao rosto do ladrão pelo sistema de reconhecimento facial da Apple, usado pela empresa para rastrear pessoas suspeitas de furto ou roubo dentro das lojas da companhia.

No processo contra a Apple, Bah alega que teve de responder a diversas falsas acusações de furto o que o levou a sofrer de "estresse severo e sofrimento."

A Apple e a Security Industry Specialists Inc., empresa de segurança citada no processo, se recusaram a comentar o caso.

Mais Tecnologia