Topo

Tecnologia

Negócios


Modernosa, nova sede faz McDonald's pagar de startup e posar de saudável

Rodrigo Lara

Colaboração para o UOL, em São Paulo

2019-04-24T04:00:00

24/04/2019 04h00

Já se vão mais de 78 anos desde que o McDonald's iniciou sua operação, com os irmãos Richard e Maurice McDonald, e 58 desde que a empresa foi comprada por Ray Kroc e tomou a forma da gigante do fast food que conhecemos hoje. Desde 1971, a sede da empresa ficava em Oak Brook, nos subúrbios de Chicago, Estados Unidos. Ficava, porque em 2018 a empresa resolveu se mudar.

O local escolhido foi um complexo de nove andares em uma área de Chicago que anda em efervescência nos últimos anos: o West Loop. Mais do que uma simples mudança de local, o novo "quartel-general" da empresa lembra bastante o ambiente de startups ou empresas de tecnologia.

O local, que abriga 2.000 funcionários, é apanhado de tendências de empresas "moderninhas".

Entre os itens de decoração estão arcos de madeira, que lembram o símbolo tradicional da empresa, além de paredes recobertas com uma malha que lembra o padrão das cestas usadas para fritar batatas nos restaurantes da marca.

No teto, folhas de feltro ficam penduradas, dando a impressão de que o visitante está em uma espécie de floresta. Entre o quarto e o oitavo andar, há uma escadaria central, cujo intuito é "promover interações" entre os funcionários.

É claro que algumas marcas da empresa não poderiam ficar de fora. Há uma espécie de "sala dos brinquedos", que reúne todos os brindes do McLanche Feliz já feitos.

Salas com isolamento acústico e um terraço com plantas também fazem parte do pacote. Ao todo, são 327 salas que podem ser usadas para reuniões ou conferências telefônicas.

O prédio também abriga a sua famosa Universidade do Hambúrguer, que funciona como um centro de treinamento e pretende contar com mais de 3.000 estudantes por ano.

Toda comida produzida nesse ambiente - assim como os restos de alimentos disponíveis em reuniões e eventos - passam por um processo de compostagem.

Não poderia faltar, claro, uma unidade dos restaurantes da marca no novo prédio. Esse, porém, é diferente: a cada dois meses, os itens disponíveis no menu mudam. A ideia é oferecer opções específicas de seis países nos quais os restaurantes da rede estão presentes.

Além dele, há um espaço para café um tanto curioso: além de ter o visual dos McCafés australianos e doces canadenses, ele tem um espaço para os funcionários ficarem que lembra uma arquibancada de ginásio.

A ideia por trás da nova sede e do visual escolhido é a tentativa de representar de uma nova fase da empresa, que tenta associar a sua imagem a conceitos como saúde e bem-estar - ainda que, por anos, ela tenha sido sinônimo de comida nada saudável.