Topo

Tecnologia

Redes sociais


Trump reclama, e CEO do Twitter explica porque republicano perde seguidores

Josh Haner/The New York Times
Imagem: Josh Haner/The New York Times

Márcio Padrão *

Do UOL, em São Paulo

2019-04-24T12:56:03

24/04/2019 12h56

O Twitter anunciou, nesta terça-feira (23), que triplicou os seus lucros no primeiro trimestre de 2019, e, momentos depois, o presidente americano Donald Trump criticou a rede social... com tuites.

"Eles não me tratam bem por eu ser republicano", disse Trump, minutos após a publicação dos resultados trimestrais, em resposta a um repórter da Fox Business que afirmou que "a melhor coisa que aconteceu para o Twitter foi Donald Trump".

"Muito discriminatório (...). Eles suprimem contas constantemente. Grandes queixas de muitas pessoas", acrescentou o presidente, que acredita que a rede social faz "jogos políticos".

Os lucros no primeiro trimestre alcançaram US$ 191 milhões, em comparação com US$ 61 milhões no mesmo período do ano passado, enquanto as receitas aumentaram 18%, para US$ 787 milhões.

A base global de usuários do Twitter teve, porém, um aumento modesto, em um momento em que a empresa muda sua forma de medição.

A medida dos usuários ativos mensais foi de 330 milhões no período de janeiro a março, um aumento de nove milhões em relação ao trimestre anterior, mas ligeiramente inferior ao mesmo período de 2018.

No entanto, a plataforma não vai mais usar esta medida. Passará a contabilizar os usuários ativos diários "monetizáveis" - 134 milhões no trimestre anterior, um aumento de 120 milhões, em comparação com um ano atrás.

Jack Dorsey, CEO da rede social, disse que o Twitter está se beneficiando de seus esforços para erradicar os conteúdos abusivos e falsos que mancharam a reputação da rede social.

"Temos uma abordagem mais pró-ativa para reduzir os abusos e seus efeitos no Twitter", afirmou Dorsey.

Segundo uma fonte disse ao jornal Washington Post, Trump argumentou, também, que outros conservadores teriam queixas similares, pois a direita americana vem se queixando de que as redes sociais favorecem a esquerda.

Dorsey explicou que é de praxe, na empresa, fazer uma limpa de contas identificadas como falsas e que até mesmo ele havia perdido seguidores como parte do trabalho do Twitter para reforçar suas políticas

"Estamos reduzindo o ônus sobre as vítimas e, quando possível, atuando antes que o abuso seja relatado", acrescentou. A fonte do Post também descreveu a reunião como cordial.

* Com agência AFP