Topo

Tecnologia

Inovação


Sai, machismo! Vibrador tem prêmio de inovação devolvido por feira tech

Divulgação/Lora DiCarlo
Osé, novo vibrador da Lora DiCarlo, havia tido prêmio retirado pela CES Imagem: Divulgação/Lora DiCarlo

Gabriel Joppert

Colaboração para o UOL, em São Paulo

2019-05-08T19:49:09

08/05/2019 19h49

Resumo da notícia

  • CES voltou atrás em decisão e devolveu prêmio a vibrador feito por mulheres
  • Decisão de retirar prêmio, no início do ano, rendeu críticas de machismo à organização
  • Tecnologia micro-robótica emula a sensação do toque da boca, língua e dedos humanos
  • Produto deverá ser disponibilizado no mercado ainda neste ano

Após uma polêmica que já se estendia há alguns meses, a organização da maior feira de eletrônicos do mundo, a CES (Consumer Electronics Show), voltou atrás na decisão de retirar o prêmio que havia sido concedido ao vibrador Osé, produzido pela Lora DiCarlo.

A história começou em outubro de 2018, quando o Osé foi selecionado entre os ganhadores do prêmio de inovação na categoria de produtos de robótica ou drones. Para receber a honraria, o projeto primeiro teve a inscrição validada pela Associação de Tecnologia para Consumo (CTA, na sigla em inglês), responsável pela organização e produção da feira.

Em seguida, o vibrador foi avaliado por um júri independente de especialistas em robótica, que o consideraram um destaque de inovações tecnológicas entre os inscritos.

Quatro meses depois disso, em janeiro deste ano, a CTA decidiu revogar o prêmio e ainda por cima proibiu que o Osé fosse exposto na feira. A organização não explicou muito bem os motivos, mas citou uma cláusula do regulamento que permitiria o veto a produtos "imorais, obscenos, indecentes ou profanos".

Tecnomagia: as tecnologias de Harry Potter que queremos no nosso mundo

Confira

O fato gerou repercussão negativa. Na época, em uma carta aberta, Lora Haddock, fundadora e CEO da Lora DiCarlo, denunciou o sexismo e a prática de "dois pesos e duas medidas" por parte da organização, que já teria permitido a participação de produtos muito mais explícitos voltados ao prazer masculino.

Agora, quatro meses depois, a decisão de retirar a distinção foi revogada. "A CTA não administrou esse prêmio da forma correta", afirmou Jean Foster, executiva de marketing da organização, segundo a BBC britânica.

Haddock e a equipe da Lora DiCarlo comemoraram hoje no site da empresa: "MELHOR DIA DA HISTÓRIA: ganhamos US$ 2 milhões e um pedido de desculpas da CES". Ela também agradeceu aos fãs pela ajuda e reafirmou a missão da empresa de promover a inclusão e a diversidade dentro do mundo da tecnologia.

O Osé, portanto, recebeu de volta a devida honraria por suas proezas tecnológicas -- que não são poucas. O massageador pessoal é desenvolvido para ser usado sem as mãos e se ajustar ao corpo da usuária.

A tecnologia micro-robótica emula a sensação do toque da boca, língua e dedos humanos. As inovações desenvolvidas pela equipe de engenharia (quase toda composta por mulheres) são objeto de (por enquanto) oito novas patentes em robótica, biomímese e engenharia. O produto estará disponível no mercado ainda este ano.