Topo

Curiosidades de tecnologia


O que é provedor de internet?

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Rodrigo Lara

Colaboração para o UOL, em São Paulo

2019-06-11T04:00:00

11/06/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Provedor de internet é o responsável por intermediar a conexão entre o usuário e a rede mundial de computadores
  • Nos anos 1990, o serviço era oferecido por empresas especializadas
  • A partir dos anos 2000, as telefônicas passaram a fazer o papel duplo de oferecer a conexão e a intermediação

Provedor de internet é algo que muita gente usa, mas poucos sabem como funciona. Este termo foi muito usado nos primórdios da internet no Brasil, nos anos 1990. Na época, o acesso à rede era feito por linha telefônica, a chamada conexão discada (dial-up).

Para tal, em linhas gerais, o que acontecia era que um modem fazia uma ligação para uma empresa --o tal provedor de internet--, que intermediava o acesso à internet. Esse provedor era o responsável por fazer a autenticação do usuário e fornecer os protocolos necessários para usar os serviços da internet. Entre essas empresas, estavam pioneiros da internet no país, como o UOL.

A razão para a presença desses provedores é que, à época, as operadoras de telefonia estavam proibidas por lei de ter qualquer atividade que não fosse a telefonia em si.

Isso mudou com a chegada da banda larga ao país, em 2000, uma modalidade de internet que não exige um provedor de internet aos moldes tradicionais, sendo que a função de intermediar a conexão do usuário com a internet fica a cargo da própria empresa de telefonia --que passaram a ser os novos provedores e a cobrar pelo serviço de acesso à internet como um todo.

Aos antigos provedores, portanto, restava gerenciar conexões com a internet discada, modalidade de acesso cujos usuários decresceram consideravelmente ano a ano --em 2017, esse tipo de conexão à internet correspondia a 0,6% do total de conexões no Brasil, segundo o IBGE.

Além disso, essas empresas também oferecem outros serviços, como hospedagem de sites, contas de e-mail, serviços de notícias, clubes de assinatura etc.

Em 2013, uma nova regulamentação da Anatel extinguiu a obrigatoriedade da contratação de provedores para as conexões discadas. Com isso, as operadoras de telefonia também passam a ser responsáveis pelo papel de provedores de conteúdo no caso de conexões discadas.