Topo

Tecnologia

Negócios


Huawei x EUA: americanos dizem para Brasil tomar cuidado com chineses

Aly Song/Reuters
Imagem: Aly Song/Reuters

Da Reuters, em Washington

2019-03-18T18:16:46

18/03/2019 18h16

Autoridades norte-americanas advertiram autoridades brasileiras sobre suas preocupações de segurança envolvendo a fabricante de equipamentos de telecomunicações chinesa Huawei Technologies durante conversas em Washington, disse uma graduada autoridade dos EUA nesta segunda-feira.

Os Estados Unidos têm dito que a tecnologia da Huawei para a próxima geração de redes 5G pode ser utilizada para espionar no Ocidente. A China tem negado as acusações.

A questão das redes 5G é um dos diversos temas de segurança, defesa e comércio na agenda do primeiro encontro do presidente Jair Bolsonaro com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, marcado para terça-feira.

"Eles tiveram toda uma série de diferentes reuniões aqui onde ouviram de nossos especialistas em segurança, questões de inteligência e outras áreas para entender as consequências dessas redes e o quão francamente perigosas, e como elas podem minar sua segurança internamente", disse a autoridade a repórteres sob condição de anonimato.

Uma autoridade brasileira, também falando sob condição de anonimato, disse que o Brasil não quer ficar no meio da disputa entre Estados Unidos e China em relação à Huawei. A autoridade disse que, no momento não é previsto nenhum impedimento para a companhia chinesa no Brasil.

Bolsonaro, que defendeu laços mais próximos com os Estados Unidos durante sua campanha no ano passado, visitou a CIA nesta segunda-feira.

Durante a viagem de Bolsonaro a Washington, o Brasil também está trabalhando para conquistar o apoio dos EUA para o ingresso do país na Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

A autoridade norte-americana disse que os esforços brasileiros para reformas econômicas e regulatórias são bem-vindos.

"Nós vemos esses esforços e esse movimento positivo em uma luz favorável e claramente nós queremos ajudar o Brasil a atingir seus objetivos e faremos tudo que pudermos para ajudá-los a alcançar seu objetivo", disse a autoridade.

(Reportagem de Roberta Rampton)