Topo

Tecnologia

Smartphone

Basiquinho de respeito: Galaxy J4 tem boa bateria e custa menos de R$ 1.000

Bruna Souza Cruz

Do UOL, em São Paulo

12/12/2018 04h00

Pare por alguns minutos e pense: o que você realmente espera de um smartphone? Quer um modelo com boa bateria? Que seja legal para as redes sociais, internet e assistir vídeos? Que não seja muito caro?

Se as respostas para as perguntas acima forem sim, o Samsung Galaxy J4 precisa estar no seu radar. Testei o aparelho por algumas semanas e conto agora o que achei dele.

Spoiler: o J4 é um bom celular para quem quer gastar pouco e faz um uso mais tranquilo do smartphone.

O modelo da Samsung foi lançado no meio do ano em duas versões e se encaixa na categoria de smartphones básicos. O modelo mais caro (32 GB de memória) custava R$ 999. Alguns meses depois o preço caiu bastante e já é possível comprá-lo por R$ 646*. O que é ótimo!

Bateria é o que mais vale a pena

Quem aí não precisa de uma boa bateria? O J4 vem com legalzinha. São 3.000 mAh de capacidade. Na prática, você vai conseguir ficar um dia completo sem precisar recarregá-la. Dependendo, até um pouco mais.

Existe celular que dura mais? Existe, mas eles são mais caros também.

Fizemos um teste de vídeo e ele conseguiu ficar rodando uma cena em sequência por longas 11h20. Um resultado relativamente perto do concorrente Moto E5, que conseguiu 13h19 no mesmo teste.

Um único ponto de ressalva é que a bateria dele demora para carregar. Separe aí pelo menos umas 2h30 para deixar o aparelho com 100%.

Design velho

Se a bateria é um ponto positivo, não dá para dizer o mesmo do design. A Samsung não inovou nadinha no J4. Ele traz um visual mais tradicional, digamos assim.

A parte da frente do celular ainda tem muitas bordas e ele vem com um botão físico que só serve para acessar alguns comandos do J4.

Divulgação
Design do J4 Imagem: Divulgação

Nem impressão de digital o modelo tem. Um ponto bem negativo aqui para a questão da segurança.

A parte de trás é feita de plástico e me pareceu bem frágil em relação aos riscos.

Em uma pegada meio "Old School", você vai ter que abrir toda a traseira dele para colocar o chip e o cartão de memória. A bateria também pode ser removida.

Tela resistente

A tela do Galaxy J4 tem 5,5 polegadas e a resolução é HD (1.280 x 720 pixels). Ela dá conta do recado para ver vídeos e jogar alguns jogos mais leves. Ela só podia ter menos bordas, não?

A tela me surpreendeu no aspecto da resistência. Durante as gravações da análise, o celular caiu duas vezes de uma altura de um metro e a tela ficou intacta (Ufa!).

De qualquer forma, recomendo uma película de vidro. Vai que...

Fotos ficam na média

Olha, não espere fotos incríveis feitas pelo J4. Falo isso, mas não significa que elas são ruins.

O resultado fica na média dos celulares mais básicos. A câmera traseira tem 13 MP e as fotos de paisagem costumam ficam bonitas quando existe uma boa iluminação no local.

Alguns probleminhas podem surgir quando você deseja fotografar coisas em movimento ou no escuro. Você vai precisar de um pouco mais de paciência até ter o clique perfeito.

UOL
Foto tirada com a câmera principal - luz natural Imagem: UOL

UOL
Foto tirada com a câmera principal - luz ambiente Imagem: UOL

O J4 vem com umas firulinhas na parte das câmeras que são os stickers e alguns filtros tipo Instagram. Tem também aquele efeito embelezador (que eu sempre acho que não embeleza nada) se você gostar.

UOL
Filtros para usar nas fotos Imagem: UOL

A câmera frontal tem 5 MP e não é nada incrível. As fotos ficam aceitáveis em lugares com uma luz mais equilibrada.

No escuro já é melhor esquecer a sua selfie. O resultado geralmente envolve fotos com pouca definição, borradas e com uma coloração estranha.

UOL
Selfie tirada em ambiente com pouca iluminação Imagem: UOL

UOL
Selfie tirada com luz do estúdio Imagem: UOL

Ele pode travar

O desempenho do J4 é mediano para a categoria dele. Por isso, jogos pesados não vão rolar.

Eu não consegui escapar de algumas travadas no dia a dia. Nada que me impedisse de usar o celular direito, mas é importante saber disso. E alguns aplicativos podem demorar um pouco para abrir.

No teste de benchmark (que mede a eficiência do processador) feito com o app Geekbench 4, o modelo da Samsung registrou 1.714 pontos na análise multinúcleos e 607 pontos na avaliação de cada núcleo individualmente - o J4 trabalha com quatro ao todo.

O Moto E5 teve um resultado bem parecido no mesmo teste: 1.794 e 646 pontos, respectivamente.

Só para matar uma possível curiosidade, o celular mais poderoso da Samsung atualmente pontuou 2.895 quando considerado um núcleo e 7.266 considerando todos os núcleos. Sabe o Note 9?

Veredito

Como falei no início do texto, ele é um bom celular para quem não precisa de (e nem quer) muitos recursos. O preço e a bateria é o que fazem valer mais a pena.

Ele pode ser comprado nas cores preto, dourado, lavanda e violeta (a que achei mais bonita).

O modelo é básico. Então é esperado que ele não tenha configurações super avançadas. Resumindo, ele cumpre o que promete. Mas ele realmente poderia ter o sensor de impressão de digital e uma câmera de selfie melhor.

Ficha técnica: Galaxy J4

Tela: 5,5 polegadas HD (1.280 x 720 pixels)
Sistema operacional: Android 8.0
Processador: Exynos 7570 quad-core 1,4 GHz
Memória: 16 GB ou 32 GB de armazenamento e 2 GB de RAM
Câmeras: 13 MP (principal) e 5 MP (frontal)
Dimensões e peso: 15,1 x 7,7 x 0,8 cm; e 175 g 
Bateria: 3.000 mAh
Pontos positivos: preço e bateria
Pontos negativos: design e câmera frontal
Preço de lançamento: R$ 849 (16 GB) e R$ 999 (32 GB)

*Valor consultado no Shopping UOL em 11 de dezembro de 2018.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Newsletters

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero receber