Topo

Tecnologia

Smartphone


Como os novos sistemas de Apple e Google vão mudar seu smartphone

Glenn Harvey/NYT
Com as atualizações anunciadas por Apple e Google, o software que faz seu smartphone funcionar está prestes a mudar Imagem: Glenn Harvey/NYT

Brian X. Chen

2019-06-15T04:00:00

15/06/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Apple e Google atualizaram software que faz seu smartphone funcionar está prestes a mudar
  • Entre as mudanças, estão o acréscimo de mais camadas de privacidade
  • Os celulares também ganharão o modo escuro, para poupar bateria
  • Há também cópias de funções de um sistema em outro

Ano após ano, Apple e Google anunciam grandes atualizações de seus sistemas operacionais para smartphones. Isso significa que o software que faz seu telefone funcionar vai mudar --mais uma vez.

Com a mudança vêm novas coisas a aprender. As atualizações anuais, que são gratuitas, aperfeiçoam nossos dispositivos consertando defeitos e reforçando a segurança, mas podem ser intimidantes porque cada atualização inclui centenas de novas funções.

O iOS 13 da Apple, a próxima versão do sistema operacional iPhone, inclui novas características como um chamado modo escuro para tornar a tela mais visível. E o Android Q da Google apresenta novos gestos para controlar os telefones Android e alguns aperfeiçoamentos para proteger sua privacidade.

Felizmente, temos alguns meses para nos preparar: as duas atualizações deverão vir entre setembro e março. Para testar as modificações mais importantes, testei uma versão precoce do Android Q e dei uma olhada inicial no iOS 13. Veja aqui o que você precisa saber:

Os telefones Apple, antigos e novos, ganham velocidade

Vamos começar com a mudança menos vistosa, mas mais importante: a velocidade.

Muitos telefones da Apple, do iPhone 6S de quatro anos até os últimos, ficarão mais rápidos com o iOS 13. A Apple disse que fez aperfeiçoamentos no sistema operacional que farão os aplicativos abrir duas vezes mais depressa. O novo sistema de software vai reduzir o tamanho de dados dos apps, o que também vai aumentar as velocidades. Os downloads de apps serão 50% menores e as atualizações de software, 60% menores. Para os donos dos modelos mais novos, o escaner facial vai destravar o telefone cerca de 30% mais depressa.

Modo escuro nos dois sistemas

Muitos apps são projetados com fundo branco e, em algumas circunstâncias, isso pode ser cansativo para os olhos. Os telefones Apple e Android vão receber modos escuros, que podem ser ligados/desligados tocando num atalho. Ambas as versões substituem o fundo branco por cores escuras, que vão do cinza ao preto, dependendo de como foi desenhada a interface do app.

De que adianta? O modo escuro pode ser vantajoso por diversos motivos: deve reduzir o consumo de bateria porque menos pixels precisam ser acesos, e tornará as telas mais agradáveis aos olhos quando estiverem lendo no escuro.

Um detalhe: enquanto Apple e Google demonstraram seus próprios apps funcionando em modo escuro, desenvolvedores terceirizados terão de usar os "tool kits" das empresas para permitir que seus apps trabalhem em modo escuro. Na época do lançamento dos sistemas operacionais, provavelmente haverá muitos apps aproveitando o novo modo.

Os dois sistemas incluem aperfeiçoamentos de privacidade

Na terra da tecnologia, a privacidade é o assunto de mais destaque nos últimos anos, e Apple e Google prometem novas melhoras em privacidade em seus próximos sistemas operacionais para celulares.

A principal característica de segurança da Apple é o Sign With Apple, um botão para usar uma Identidade Apple para entrar em apps iOS e sites. Ele compete com ferramentas semelhantes do Google e do Facebook, que permitem que você use suas contas Google ou Facebook para logar em diferentes sites e apps.

A Apple está adotando uma abordagem diferente. Quando você se inscrever num site ou app com sua Apple ID, o iOS 13 incluirá uma opção de esconder o endereço de e-mail ligado à conta. No processo, a Apple criará basicamente um endereço falso, escondendo o seu e-mail real de terceiros.

Sempre que o site ou o app tentar contatá-lo, enviará ao endereço falso, e a Apple enviará um aviso ao seu e-mail verdadeiro. Assim, se uma empresa começar a enviar spam para o endereço falso, você pode deletar sua conta e a empresa não terá seu endereço real de email.

O Android Q da Google, por outro lado, brinca de esconder com a Apple em privacidade. A atualização do software vai se concentrar em dar às pessoas mais controle sobre como sua localização é compartilhada. Quando um app pedir permissão para acessar seus dados de localização, a Google perguntará se você quer compartilhar sua localização o tempo todo, só enquanto o app estiver sendo usado ou nunca. (Antes, as únicas opções eram compartilhar os dados sempre ou nunca.)

Outra novidade no Android é um menu no app de configurações chamado Privacidade. Aqui, um painel de controle inclui uma opção para ver os apps que estão usando sua localização, assim como a capacidade de recusar anúncios dirigidos dentro dos apps.

Androids vão funcionar mais como iPhones

A Apple e a Google vêm copiando os softwares uma da outra há anos. Desta vez, o Android vai pegar muita coisa emprestada da nova interface do iPhone baseada em gestos.

Quando você tem um app carregado no Android Q, basta deslizar o dedo de baixo para cima para retornar à tela inicial. Deslizando e segurando o dedo, abre-se um carrossel de apps para mudar rapidamente entre eles, à esquerda ou à direita. Esses gestos são exatamente como você controlaria um iPhone novo depois que a Apple abandonou o botão físico de tela inicial.

O Apple Maps será mais parecido com o Google Maps

Finalmente, o iOS 13 vai adotar uma reforma geral no software de mapas da Apple, ajudando no pega-pega com o Google Maps. A Apple disse que investiu um grande volume de tempo e dinheiro para aperfeiçoar seus mapas, especialmente nos Estados Unidos. Em algumas áreas, os mapas vão mostrar um botão de binóculos; clicar nele abrirá uma visão 3D da rua para que você possa olhar ao redor como se estivesse lá. A função imita o Street View do Google, que existe há vários anos.

Além disso, o Apple Maps começará a fornecer informação em tempo real em algumas cidades sobre rotas de trânsito. Se seu ônibus estiver atrasado, por exemplo, o app mostrará uma atualização com os horários reais. (A Google começou a oferecer uma função semelhante, Commute, no ano passado em seu app de mapas.)