UOL Notícias Notícias
 

16/01/2006 - 16h53

Nasa lança sonda New Horizons com destino a Plutão

=(FOTO)= WASHINGTON, 16 jan (AFP) - A Nasa (agência espacial americana) prevê para terça-feira o lançamento da sonda New Horizons com destino a Plutão, planeta inexplorado cujas características devem ajudar os cientistas a revelar os mistérios sobre as origens do sistema solar.

A janela de lançamento, que será feito de Cabo Cañaveral (Flórida, sudeste dos EUA), vai das 18h24 às 20h23 GMT (das 16h24 às 18h23 de Brasília).

A sonda será lançada em duas etapas, com a ajuda de um poderoso foguete Atlas V-551, que lhe dará uma velocidade fantástica - 50.000 km/hora - e fará da New Horizons o aparelho espacial mais rápido do mundo.

No início de 2007, a máquina - alimentada por um gerador termelétrico movido a plutônio, que produz 200 watts - se aproximará de Júpiter, cuja força gravitacional a empurrará a mais de 75.000 km/h em linha reta para o encontro com Plutão.

Se tudo correr conforme o planejado, a New Horizons - do tamanho de um grande piano, dotado de sete instrumentos científicos e com peso de 454 kg - se aproximará de Plutão no início do verão de 2015, após uma viagem de 6,4 bilhões de km, segundo Andrew Dantzler, diretor da divisão Sistema Solar da Nasa.

Durante seis meses, a sonda sobrevoará o menor planeta do sistema solar e também o mais distante do sol, em torno do qual completa sua rotação em 248 anos terrestres.

Assim, poderá registrar várias imagens de Plutão, que continua sendo um enigma 75 anos depois de sua descoberta, e recolher dados sobre sua atmosfera e geologia. As únicas fotos digitais tiradas pelo telescópio espacial Hubble são muito borradas.

A New Horizons, uma missão de 650 milhões de dólares, também fará observações em Charon, a principal lua de Plutão, assim como de outros dois satélites recentemente descobertos pelo Hubble.

A pequena sonda se dirigirá, então, para o cinturão de Kuiper, o qual atravessará, coletando informações também preciosas.

Os astrônomos detectaram neste cinturão de asteróides, que circunda nosso sistema solar, centenas de milhares de objetos celestes aparentemente similares a Plutão. Estas descobertas geraram um debate apaixonado entre a comunidade astronômica sobre a classificação do planeta, que se parece muito com um grande asteróide.

Plutão é menor do que sete satélites do sistema solar. Seu diâmetro corresponde a dois terços do da nossa Lua.

Além deste debate, as características únicas de Plutão, metade planeta, metade asteróide, e a dos milhões de vestígios da formação do sistema solar encontrados no cinturão de Kuiper, fazem com que esta missão se pareça com uma espécie de arqueologia astronômica.

"Explorar Plutão e o cinturão de Kuiper equivale a fazer escavações arqueológicas na parte mais distante do sistema solar, um lugar antigo onde se podem encontrar indícios sobre a história da formação dos planetas", segundo Alan Stern, encarregado científica desta missão e astrofísico do Southwest Research Institute, em Boulder (Colorado, oeste).

Para a Academia de Ciências, a exploração de Plutão, de seus satélites e do cinturão de Kuiper está entre as maiores prioridades da conquista espacial devido à "sua importância científica fundamental para avançar na compreensão do sistema solar".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,21
    3,129
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h28

    0,04
    76.004,15
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host