UOL Notícias Notícias
 

19/01/2006 - 20h02

Telefone celular não aumenta risco de câncer cerebral, diz estudo

PARIS, 19 jan (AFP) - O uso regular do telefone celular não aumenta o risco de desenvolver um tumor cerebral, afirma um estudo britânico que será publicado nesta sexta-feira no site do "British Medical Journal" (BMJ).

O estudo foi realizado com um universo de 966 britânicos entre 18 e 69 anos que utilizam regularmente o aparelho celular e que tiveram, entre 2000 e 2004, um glioma, um tipo de tumor cerebral relativamente freqüente no ser humano. Seus resultados foram comparados com os testes realizados em 1.700 usuários saudáveis.

Segundo as conclusões, o risco de tumor não está relacionado com a duração e a freqüência das chamadas, nem com a idade do usuário, ou o tempo que usa o telefone, destacam Patricia McKinney, da Universidade britânica de Leeds (norte), e seus colegas.

Esses resultados confirmam as conclusões de outros testes feitos nos EUA, Dinamarca e Suécia.

Recentemente, a Organização Mundial de Saúde (OMS) pediu que se investigue mais o tema, em particular se existem riscos para as crianças.

Os cientistas temem que exista um risco específico nas zonas rurais, já que o sinal eletromagnético é mais potente.

As conclusões que serão publicadas no BMJ fazem parte de um estudo internacional de 13 países sobre os efeitos do telefone celular na saúde.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,48
    3,144
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,53
    75.604,34
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host