UOL Notícias Notícias
 

25/01/2006 - 18h59

Escolas de medicina americanas denunciam influência do setor farmacêutico

WASHINGTON, 25 Jan (AFP) - Representantes das mais respeitadas escolas de medicina e associações médicas americanas denunciaram nesta quarta-feira, na última edição do Journal of American Medical Association (JAMA), a influência excessiva dos laboratórios farmacêuticos na atividade médica.

Um grupo de consagrados professores de medicina avaliou que os esforços para limitar o poder financeiro da indústria farmacêutica sobre os médicos e evitar conflitos de interesse são um fracasso.

A crescente influência dos laboratórios na profissão leva muitos médicos americanos a prescreverem inutilmente medicamentos e outros a dissimular alguns resultados desfavoráveis de estudos sobre novos tratamentos.

Por exemplo, o New England Journal of Medecine revelou em dezembro que o Merck dissimulou três acidentes cardiovasculares em um estudo clínico sobre o antiinflamatório Vioxx, publicado em 2000, quatro anos antes de o labroatório retirar o medicamento do mercado.

O grupo de professores de medicina das Universidades de Harvard (Massachusetts, leste), Columbia (Nova York), da Califórnia em Berkeley e da Association of American Medical College, pressiona os 400 centros hospitalares universitários dos Estados Unidos a imporem regras éticas estritas para evitar qualquer conflito de interesse com as empresas farmacêuticas.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host