UOL Notícias Notícias
 

26/01/2006 - 18h42

Challenger: 73 segundos de conversas, comentários e silêncios

WASHINGTON, 25 jan (AFP) - Os 73 segundos passados entre o lançamento e a explosão da Challenger, no dia 28 de janeiro de 1986, foram marcados pelas explicações e longos silêncios do comentarista da Nasa, Steve Nesbitt, que relatava as comunicações entre o centro de controle e o ônibus espacial.

Steve Nesbitt: "10,9,8,7,6, fogo nos motores principais, 4,3,2,1 e 'lift off' (decolagem) da vigésima quinta missão da nave espacial...".

O piloto Michael Smith: "Está bem, aqui vamos".

Centro de controle: "Controle seu vôo Challenger". Oito segundos depois da decolagem, a nave gira sobre si mesma e se dirige para o Atlântico para continuar a ascensão, que normalmente dura pouco mais de oito minutos.

Steve Nesbitt: "Manobra de giro confirmada. Challenger inicia sua fase de ascensão baixa (silêncio). Os motores começam a reduzir momentaneamente para não impor ao aparelho forças aerodinâmicas excessivas ao atingir a velocidade do som (1.235 km/h).

A nave está a 94% de sua capacidade. Os motores funcionam a 104% durante a maior parte da ascensão. Os gases estão em 65%. Os três motores funcionam normalmente. São três excelentes motores (silêncio). A velocidade é de 688 metros por segundo, a altitude é de 4,3 milhas náuticas (7,95 km) e a distância da base de lançamento é de 3 milhas náuticas (5,5 km). (silêncio). Aumenta a potência dos motores, agora eles estão a 104%".

Centro de controle: "Challenger, aumento da potência dos motores".

Comandante de bordo, Francis Scobee: "Roger, OK, aumento de potência dos motores".

Um minuto e 13 segundos depois da decolagem, os telespectadores viram, horrorizados, a enorme explosão. No entanto, Nesbitt continua narrando: "Estamos voando agora há um minuto e 15 segundos, a velocidade é de 2.900 pés por segundo (883 m/segundo), a altitude é de 16.650 metros e a distância da base é de 7 milhas náuticas (12,9 km)". (longo silêncio).

Steve Nesbitt: "Os responsáveis pelo vôo examinam cuidadosamente a situação (novo silêncio, de cerca de 40 segundos). Há evidentemente um problema técnico muito sério. Não temos mais comunicação (com a tripulação)". (longo silêncio).

Depois diz, com voz grave: "Fomos informados pelos responsáveis técnicos do vôo que o veículo explodiu".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    13h39

    0,34
    3,290
    Outras moedas
  • Bovespa

    13h44

    -0,52
    62.931,09
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host