UOL Notícias Notícias
 

17/02/2006 - 16h35

Apresentado no Uruguai veículo movido a ar comprimido

Por Ricardo Soca=(FOTOS)= MONTEVIDÉU, 17 fev (AFP) - Uma moto movida a ar comprimido será posta à venda no Uruguai a partir de abril, informou à AFP o engenheiro Armando Regusci, inventor deste motor econômico e não poluente.

"Com um motor elétrico ligado à rede pública se comprime ar a alta pressão, por exemplo, 200 kg por centímetro quadrado e com este depósito é possível andar 100 km a 50 km/h", explicou o inventor, apontando para os dois tanques acoplados nos dois lados da bicicleta.

Para dar início ao movimento, abre-se uma válvula que permite a saída do ar, que se descomprime até cerca de 10 kg por centímetro quadrado, movendo um pistão, que transmite o movimento à roda do veículo.

"O motor não é poluente, não é movido a gasolina, álcool ou hidrogênio. A fonte de energia é o ar que respiramos", disse Regusci.

O inventor uruguaio acredita que seu país poderia economizar dois milhões de dólares diários, que hoje gasta com importações de petróleo, além da vantagem de usar um motor não poluente.

"São veículos que usam energia renovável, não como o petróleo, que poderá durar mais 20 anos. Contam com uma energia rapidamente transferível. Não causam qualquer contaminação e são supereconômicos, com uma despesa, no caso das motos, de quatro pesos (16 centavos de dólar) por quilômetro percorrido", afirmou Regusci.

O custo foi calculado com base no preço da energia elétrica necessária para comprimir o ar do motor original, que segundo o inventor foi testado com sucesso na universidade americana de North Texas (sul).

"O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, assegurou que Washington empenhará dois bilhões de dólares no carro a hidrogênio, mas este ficará pronto em 25 anos", disse Regusci.

Outros problemas da iniciativa americana são a escassez de água prevista para dentro de algumas décadas, os riscos próprios dessa tecnologia e a contaminação que causa para o meio ambiente.

Regusci considerou como o principal obstáculo para o financiamento de seu invento os interesses "da indústria petroleira", razão pela qual pôs à venda ações de seu empreendimento para fabricar os veículos "com o apoio do povo" e do governo uruguaio.

Desta forma, o inventor vendeu ao público 5.000 ações de sua empresa por um dólar cada e outras mil a 10 dólares, juntando assim um capital de 15.000 dólares com o qual se propõe a iniciar o projeto.

As primeiras motocicletas fabricadas por Regusci estarão circulando pelas ruas de Montevidéu a partir de abril, por um preço equivalente a 600 dólares.

O primeiro veículo será inspirado no triciclo Piaggio, fábrica italiana das lambretas Vespa, mas ao invés do motor à explosão, terão motor Regusci a ar comprimido.

"O triciclo Piaggio gasta 250 pesos (cerca de 10 dólares) para percorrer cem quilômetros, mas uma vez tenhamos colocado nosso motor, poderá fazê-lo por quatro pesos (16 centavos de dólar)", explicou o engenheiro, que trabalhou na indústria metalúrgica. "Vamos fazer automóveis inteiramente nossos, automóveis reciclados movidos a ar comprimido. Já estamos em negociações com a empresa de ônibus CUTCSA (de transporte coletivo em Montevidéu) para reciclar todos os seus veículos a ar comprimido", anunciou com entusiasmo.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host