UOL Notícias Notícias
 

05/03/2006 - 14h21

Kadima deseja desmantelar colônias na Cisjordânia

JERUSALÉM, 5 mar (AFP) - O partido de centro Kadima, do primeiro-ministro interino Ehud Olmert, tem a intenção de desmantelar inúmeras colônias na Cisjordânia em função do plano de solução provisória que pretende fixar em médio ou longo prazo as fronteiras permanentes de Israel. "Queremos abandonar as colônias, mas não deixaremos os setores onde elas se encontram, que permanecerão sob a segurança de Israel", declarou Avi Dichter, um dos líderes do Kadima, favorito para as legislativas do dia 28 de março.

Entre as colônias envolvidas estão as de Eilon Moreh, na região de Nablus, Psagot, em Ramallah, assim como Maalé Amos e Nokdim, em Belém e Hebron, respectivamente.

"Trata-se somente de uma separação civil já que não temos a intenção de proceder uma separação militar enquanto não tenhamos um interlocutor palestino que combata o terrorismo", acrescentou o antigo chefe do Shin Beth (segurança interior), citado neste domingo pelo jornal Yediot Aharonot.

Contudo, de qualquer maneira, a iniciativa acontece em função de uma solução temporária até que os setores das colônias (desmanteladas) possam ser transferidos ao controle de uma Autoridade Palestina que prove desejar e ser capaz de lutar contra o terrorismo. Há algumas semanas, Olmert, que desempenha um papel de protagonista desde a hospitalização de Ariel Sharon no dia 4 de janeiro, afirmara que seu objetivo prioritário era fixar as fronteiras definitivas de Israel se o seu partido ganhar as eleições. Em janeiro, ele ordenou a retirada do assentamento ilegal de Amona após prometer que as colônias construídas sem permissão da Cisjordânia serão também desmanteladas. Este anúncio do Kadima foi realizado e dá continuidade a política de Sharon, que ordenou a retirada de 21 colônias judiais da Faixa de Gaza e a retirada israelense unilateral e total da região.

Segundo o Yediot Aharonot, o Kadima tenta reagrupar os colonos retirados em blocos de assentamentos que Israel conservará sob controle permanente na Cisjordânia: Maalé Adumin, Ariel, Gush Etzion, em locais ao logo do Vale do Jordão, o bloco de colônias de Karné, Shomron-Qdumin-Ofra, a colônia de Beit El e as de Hebron e Kyriat Arba.

Inúmeras pesquisas apontam que a maioria dos israelenses deseja o desmantelamento destas pequenas colônias isoladas e a retirada escalonada da maior parte da Cisjordânia até a polêmica 'barreira de segurança', que Israel constrói na região.

O Conselho dos assentamentos judeus, principal organização dos colonos, rejeitou em um comunicado os projetos do Kadima classificando-os de promessas fraudulentas que revelam o pânico de Olmert após a esmagadora vitória do Hamas nas eleições legislativas palestinas do dia 25 de janeiro.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,84
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,35
    68.594,30
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host