UOL Notícias Notícias
 

09/03/2006 - 17h53

Descoberta no Peru a terceira maior catarata do mundo

LIMA, 9 Mar (AFP) - Uma catarata com mais de 700 metros, a terceira mais alta do mundo, foi descoberta em uma região de selva e montanha do nordeste do Peru, em meio a uma vegetação fechada, cercada de mistério e lendas de habitantes do local, que a mantiveram oculta até agora.

A catarata Gocta havia permanecido várias décadas desconhecida e sem que ninguém se atrevesse a visitá-la por medo de crenças sobre sereias e serpentes gigantes que deixavam petrificados os que ousassem perturbar a tranqüilidade desta paisagem natural. No entanto, um grupo de expedicionários alemães e peruanos acabou com o mistério e chegou até o local, revelando sua existência aos demais peruanos e aventureiros que buscam novos pontos turísticos.

A catarata fica em uma região remota do estado do Amazonas, 800 km a nordeste de Lima, rica em flora e fauna amazônica onde se chega após uma longa caminhada iniciada no povoado mais próximo, a comunidade camponesa de Cocachimba.

O alemão Stefan Ziemendorff, seu descobridor, comunicou que, por sua distância, a catarata não consta ainda em nenhum mapa.

Após as medições topográficas feitas por seu grupo, determinou-se que a queda tem 771 metros, sendo a terceira mais alta do mundo.

A Salto del Angel, também na Venezuela, é a mais alta, com 972 metros, seguida da catarata de Tugela Falls, na África do Sul, com 948 metros.

Apesar de conhecerem a existência da catarata, os moradores do local esconderam sua existência devido às crenças que ainda geram temor na região.

Uma destas lendas fala das aparições de uma mulher de cabelos dourados que costuma assediar os homens que aparecem no local, enquanto outra sustenta que no lago da catarata vive uma serprente marinha gigante que guarda um enorme tesouro, segundo publicou nesta quinta-feira o jornal El Comercio.

Outra das crenças diz que um camponês que chegou ao local teria ficado encantado e petrificado em uma das rochas gigantes que cercam a catarata.

No entanto, a expedição de Ziemendorff despertou o interesse dos moradores da região que, vencendo seus temores, começaram a elaborar projetos para a exploração turística da cachoeira.

Por enquanto, as autoridades locais começaram a abrir uma trilha a partir do povoado de Cocachimba, que permitirá chegar a Gocta com maior facilidade, sem a caminhada de pelo menos seis horas em um caminho muito acidentado.

Uma das iniciativas seria a de criar uma reserva ecológica, pois a catarata fica em uma região montanhosa de selva virgem, onde existem uma variada flora e fauna silvestre.

O Amazonas é um estado de vastas regiões inexploradas, onde surgiu a cultura pré-incaica Chachapoyas, cujo maior expoente é o complexo arqueológico de Kuélap, motivo de estudo de pesquisadores japoneses.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    13h29

    0,36
    3,291
    Outras moedas
  • Bovespa

    13h34

    -0,51
    62.934,58
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host