UOL Notícias Notícias
 

10/03/2006 - 21h11

Magnata americano condenado pela morte da esposa 20 anos após o crime

MIAMI, 10 mar (AFP) - Um milionário de Atlanta (Geórgia) foi considerado culpado nesta sexta-feira pelo assassinato de sua mulher, quase 20 anos após cometer o crime, e corre o risco de ser executado.

Um tribunal de Atlanta concluiu que James Sullivan, de 64 anos, ordenou o assassinato de sua esposa, Lita Sullivan, em 1987, pagando um pistoleiro que a executou na residência do casal, no bairro de Buckhead, após entregar um buquê de flores.

O pistoleiro, Phillip Harwood, admitiu o homicídio e foi condenado a 20 anos de prisão, mas escapou da pena de morte.

A promotoria alegou que Sullivan, nascido em Boston, ordenou a morte da mulher, então com 35 anos, para evitar perder dinheiro com um possível divórcio.

No dia do crime, o casal iria a um tribunal para avaliar a legalidade do acordo pré-nupcial firmado por ambos.

Sullivan foi preso em 2002 na Tailândia, após fugir dos Estados Unidos em 1998, quando foi acusado pelo crime.

O juri deve decidir na próxima segunda-feira se Sullivan vai ser condenado a morte, como pede a promotoria.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,31
    3,266
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,60
    62.662,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host