UOL Notícias Notícias
 

18/03/2006 - 00h31

Registradas nos EUA duas mortes após uso da pílula abortiva RU-486

WASHINGTON, 17 mar (AFP) - A FDA, agência federal americana que regulamenta o setor de remédios e alimentos, anunciou nesta sexta-feira ter sido informada de mais duas mortes após a utilização da pílula abortiva RU-486, sem confirmar, porém, a causa de ambos os óbitos.

A agência foi informada verbalmente destas duas mortes pela empresa Danco Laboratories, que comercializa esta pílula, chamada de mifepristone (Mireprex) nos EUA.

"Nós investigamos as circunstâncias destas mortes, ainda sem poder confirmar as causas", disse a FDA em nota divulgada em sua página na Internet(www.fda.gov).

De acordo com o comunicado, quatro mulheres morreram em 2005 na Califórnia de sepsia, uma grave infecção do sangue, após terem usado a pílula, cujo uso provoca polêmica nos Estados Unidos, já que o movimento antiaborto exige sua retirada do mercado.

Em cada um dos quatro casos, determinou-se que o mifepristone foi responsável por esta infecção rara, provocada por uma bactéria chamada "Clostridium sordelli", relatou em novembro passado a agência federal que continua sua investigação.

A FDA pede aos médicos e mulheres que acompanhem a ocorrência de qualquer sintoma de sepsia, como enjôos, vômitos e dores abdominais. Neste caso, os médicos devem começar um tratamento à base de antibióticos.

A RU-486, utilizada na França desde 1980, foi autorizada nos Estados Unidos a partir de setembro de 2000, para pôr fim às gestações até o 49º dia após a concepção.

Cerca de 560.000 mulheres recorreram ao medicamento desde que ele passou a ser vendido nos EUA, de acordo com números dos Laboratórios Danco.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    0,40
    3,279
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,95
    63.257,36
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host