UOL Notícias Notícias
 

30/03/2006 - 09h03

Parreira revela segredo do Brasil na Alemanha: sexo à vontade

LONDRES, 30 mar (AFP) - O técnico da seleção brasileira de futebol, Carlos Alberto Parreira, afirmou que seus jogadores disputarão a Copa do Mundo com um sorriso no rosto, antecipando que os atletas poderão desfrutar de sexo a vontade durante o torneio.

"Eu não penso que fazer sexo um dia antes de uma partida possa afetar um jogador. É apenas sexo, não há problemas. O problema acontece quando eles não se alimentam, não dormem, fumam e bebem. Este é o problema. Sexo? Não, sexo é sempre muito bom, sempre bem-vindo", declarou.

Isto representaria uma grande mudança em relação ao antecessor de Parreira, Luiz Felipe Scolari, que comandou o Brasil na conquista do pentacampeonato mundial com uma rígida disciplina, que incluía o veto ao sexo durante as longas concentrações e a Copa do Mundo de 2002.

No entanto, Parreira deixou claro que a decisão de permitir que os jogadores façam sexo com as esposas ou namoradas durante a Copa do Mundo é apenas parte de uma série de medidas para reduzir drasticamente os níveis de tensão em um torneio desta natureza.

Isto inclui, por exemplo, adquirir instrumentos musicais para os jogadores e incentivá-los a fazer coisas com as mãos depois das partidas.

"Os psicólogos dizem que é muito importante que, nos vestiários e na chegada ao hotel depois de uma partida, os jogadores façam algo com as mãos, falem, cantem. Se um atleta fica preocupado, apertando as mãos, isto não ajuda. Se fazem algo, isto os ajuda a relaxar", explicou.

"Desde 1970 nós fazemos isto. Nós compramos instrumentos para eles e os jogadores tocam no ônibus, ao invés de ficarem dizendo: 'Oh meu Deus, nós vamos enfrentar a Alemanha ou a Inglaterra em um jogo de Copa do Mundo'".

Ao comentar as características dos jogadores brasileiros, Parreira destacou que não existe a menor possibilidade de o Brasil mudar seu estilo de jogo para a Copa do Mundo e passar a atuar de modo mais conservador.

"Temos que dar uma boa impressão e manter nosso estilo. Não temos que mudar apenas porque vamos disputar uma Copa do Mundo. Temos de defender também, caso contrário não iremos a lugar algum. Porém, não podemos negar nossas raízes, nós jogamos um futebol alegre", concluiu.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host